2 de Outubro – Mahatma Gandhi e Porto Velho (RO) – 2017 

☺ CAPA – Mahatma Gandhi 148 Anos

▒ CIDADE – Porto Velho (RO) 103 Anos

▒ ANIV. – William Ramsay • Nilo Peçanha • Cordell Hull • Groucho Marx • Wando • Murilo Salles • Sting • José Maria • Augusto Cury • Franciely Freduzeski • Cléo Pires • Camilla Belle

▒ FATOS – Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão • MASP • Charlie Brown e Snoopy • Guiné • Estádio do Morumbi • Pelé • Niki Lauda • Impeachment Collor • Asteroide 2959 Scholl • Rio 2016

▒ ÓBITOS – Nicolas-Joseph Cugnot • Marcel Duchamp • Rock Hudson • Thales Pan Chacon • Carybé • Tetsuo Okamoto

▒ TRAGÉDIAS – Chacina do Carandiru • Eleições 2016

1 ▒ POSTER e VÍDEOS

GALERIA de VÍDEOS
Principais Vídeos da WEB publicados no Acontecimentos do Dia e outras WEB TVs da Rede Sampaio

2 ▒ NASCIMENTOS

1852William Ramsay ▒ William Ramsay (Glasgow, 2 de outubro de 1852High Wycombe, Buckinghamshire, 23 de julho de 1916) foi um químico escocês que descobriu os gases nobres e recebeu o Prêmio Nobel de Química em 1904 “em reconhecimento dos seus serviços na descoberta dos elementos gasosos inertes no ar” (juntamente com seu colaborador, Lord Rayleigh, que recebeu o Prêmio Nobel de Física no mesmo ano pela descoberta do argônio).


1867Nilo Peçanha ▒ Nilo Procópio Peçanha • GCSE • (Campos dos Goytacazes, 2 de outubro de 1867Rio de Janeiro, 31 de março de 1924) foi um político brasileiro. Assumiu a Presidência da República após o falecimento de Afonso Pena, em 14 de junho de 1909[1] e governou até 15 de novembro de 1910. Alguns pesquisadores afirmam que suas fotografias presidenciais eram retocadas para branquear sua pele escura.


1871Cordell Hull ▒ Cordell Hull (Olympus, 2 de outubro de 1871Washington, D.C., 23 de julho de 1955) foi um político e diplomata dos Estados Unidos. Foi agraciado com o Nobel da Paz em 1945, por ser um dos fundadores das Nações Unidas. O presidente Franklin D. Roosevelt chamou-o mesmo de “Pai das Nações Unidas”.


1890Groucho Marx ▒ Groucho Marx, pseudônimo de Julius Henry Marx (Nova Iorque, 2 de outubro de 1890[1]19 de agosto de 1977) foi um comediante e ator estadunidense, célebre como um dos mestres do humor. Fez treze filmes com seus irmãos, os Irmãos Marx.


1945Wando ▒ Wando, nome artístico de Wanderley Alves dos Reis (Cajuri, 2 de outubro de 1945Nova Lima, 8 de fevereiro de 2012) foi um cantor romântico, do gênero musical brega, brasileiro. “Moça” (1975), “Chora Coração” (1985), que fez parte da trilha sonora da telenovela Roque Santeiro, e, principalmente, “Fogo e Paixão”, lançado no álbum Vulgar e comum é não morrer de amor, de 1988, foram seu maiores sucessos.


1950Murilo Salles ▒ Murilo Salles (Rio de Janeiro, 2 de outubro de 1950) é um cineasta brasileiro, além de diretor de fotografia e roteirista de filmes. Destaque para seus trabalhos em Dona Flor e Seus Dois Maridos (1976), O Beijo no Asfalto (1981) e Eu Te Amo (1981).

1951Sting ▒ Gordon Matthew Thomas Sumner, CBE (Wallsend, 2 de outubro de 1951), mais conhecido pelo seu nome artístico, Sting, é um músico, cantor e ator inglês. Antes de sua carreira solo foi o principal compositor, cantor e baixista da banda de rock The Police. Vendeu ao longo de sua carreira mais de 100 milhões de discos,[1] e recebeu dezesseis Prêmios Grammy por seu trabalho.


1957José Maria de Almeida ▒ José “Zé” Maria de Almeida (Santa Albertina, 2 de outubro de 1957) é um político brasileiro, metalúrgico e dirigente do Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado (PSTU). Foi candidato à Presidência da República em 1998, 2002, 2010 e 2014. Em 1977, ficou 30 dias na cadeia e a campanha pela libertação motivou as primeiras passeatas dos estudantes contra a ditadura após o AI-5.


1958Augusto Cury ▒ Augusto Jorge Cury (Colina, 2 de outubro de 1958). É um médico psiquiatra, professor e escritor brasileiro. É o autor da Teoria da Inteligência Multifocal.[1] Seus livros foram publicados em mais de 70 países e já vendeu mais de 25 milhões de livros somente no Brasil.[2]


1978Franciely Freduzeski ▒ Franciely Gonzaga Freduzeski (Laranjeiras do Sul, 2 de outubro de 1978) é uma atriz e modelo brasileira. Estreou na TV na Turma do Didi em 1999. Depois, atuou no seriado Você Decide, nas novelas O Clone e América e na minissérie Amazônia, de Galvez a Chico Mendes, na Rede Globo. Ficou conhecida pelo público como a Dona Tetê do Zorra Total, onde contracenava com Agildo Ribeiro.


1982Cléo Pires ▒ Cleo Pires Ayrosa Galvão (Rio de Janeiro, 2 de outubro de 1982) é uma atriz brasileira. Em 2006, interpretou a rebelde Letícia de Cobras & Lagartos. Pelo canal pago Telecine Premium, apresentou o Cineview, programa que mostrava as atualidades do mundo do cinema. É a filha mais velha do cantor e ator Fábio Júnior e da atriz Glória Pires.


1986Camilla Belle ▒ Camilla Belle Routh (Los Angeles, 2 de outubro de 1986) é uma atriz norte- americana, de ascendência brasileira. Seus trabalhos incluem The Ballad of Jack and Rose, When a Stranger Calls, 10.000 aC, The Quiet, Push, e Breakaway. Ela é mais conhecida por seu papel como Sydney Miller no Rip Girls. Filha de brasileira, Camilla cresceu falando português fluentemente.

3 ▒ CAPA do DIA

Mahatma Gandhi

148 Anos

Mohandas Karamchand Gandhi (em hindi: मोहनदास करमचन्द गान्धी; em guzerate: મોહનદાસ કરમચંદ ગાંધી; Porbandar, 2 de outubro de 1869Nova Déli, 30 de janeiro de 1948), mais conhecido como Mahatma Gandhi (do sânscrito “Mahatma”, “A Grande Alma”) foi o idealizador e fundador do moderno Estado indiano e o maior defensor do Satyagraha (princípio da não agressão, forma não violenta de protesto) como um meio de revolução.[1]

O princípio do satyagraha, frequentemente traduzido como “o caminho da verdade” ou “a busca da verdade”, também inspirou gerações de ativistas democráticos e antirracistas, incluindo Martin Luther King Jr. e Nelson Mandela.

Frequentemente, Gandhi afirmava a simplicidade de seus valores, derivados da crença tradicional hindu: verdade (satya) e não violência (ahimsa).[2]

Biografia

Juventude

Mohandas Karamchand Gandhi nasceu no dia 2 de outubro de 1869, na cidade de Porbandar, na Índia ocidental, hoje estado de Gujarat. Seu pai era o primeiro-ministro do minúsculo principado,[3] e a mãe era uma devota vaisnava.

Como era costume em sua cultura nesta época, em maio de 1883, com a idade de 13 anos, a família de Gandhi realizou seu casamento arranjado com Kasturba Gandhi, de 14 anos,[4] através de um acordo entre as respectivas famílias.[2]

Formação na Inglaterra

Depois de um pouco de educação indistinta, foi decidido que ele deveria ir para a Inglaterra para estudar direito na University College London.[5] Ele ganhou a permissão da mãe, prometendo se abster de vinho, mulheres e carne, mas ele desafiou os regulamentos de sua casta, que proibiam a viagem para a Inglaterra. Cursou a faculdade de direito em Londres.[2]

Procurando um restaurante vegetariano, descobriu, na filosofia de Henry Stephens Salt, um argumento para o vegetarianismo e convenceu-se dessa prática. Ele organizou um clube vegetariano onde se encontravam teósofos e pessoas com interesses altruísticos.

Sua primeira leitura do Bhagavad-Gita[6] foi através de uma tradução poética para a língua inglesa de Edwin Arnold: A Canção Celestial. Esta escritura hindu e o “Sermão da Montanha“, do Evangelho, se tornaram, mais tarde, suas “bíblias” e guias espirituais. Ele memorizou o Gita em suas meditações diárias, frequentemente recitando o texto original em sânscrito em suas orações.

A vida na África do Sul

Quando Gandhi voltou à Índia, em 1891, sua mãe havia falecido, e ele, devido à timidez, não obteve êxito na sua profissão legal de advogado. Assim, aproveitou a oportunidade que surgiu de ir para África do Sul, durante um ano, representando a firma hindu de Dada Abdulla em KwaZulu-Natal, em um processo judicial.[1]

Sua estadia na África do Sul, notório local de discriminação racial, despertou-lhe a consciênciasocial. Como advogado, Gandhi fez o melhor para descobrir os fatos. Depois de resolver um caso difícil, ele passou a ter notoriedade por sua atuação. Ele mesmo relata: “eu aprendi a descobrir o lado bom da natureza humana e a entrar nos corações dos homens. Eu percebi que a verdadeira função de um advogado era unir partes separadas”. [7]

Acreditava que o dever do advogado era ajudar o tribunal a descobrir a verdade, não tentar incriminar o inocente. Ao término do ano, durante uma festa de despedida, de retorno à Índia, Gandhi tomou conhecimento que uma lei estava sendo proposta para privar os hindus do voto. Os amigos dele insistiram: “fique e conduza a briga para os direitos de nossos compatriotas na África do Sul.” Gandhi fundou, em KwaZulu-Natal, o Congresso Hindu em 1894, e seus esforços foram uma vigorosa advertência para a imprensa.

Quando Gandhi retornou à África, após buscar a esposa e filhos na Índia em janeiro de 1897, os sul- africanos tentaram interromper suas atividades de maneiras sórdidas. Uma delas foi a tentativa de subornar e ameaçar o empresário Dada Abdulla Sheth; mas Dada Abdulla era cliente de Gandhi e, finalmente, depois de um período de quarentena, Gandhi recebeu permissão para aterrissar. A turba de espera reconheceu Gandhi e começou a espancá-lo até que a esposa do Superintendente Policial veio ao salvamento dele. A turba ameaçou linchá-lo, mas Gandhi escapou usando um disfarce.

Depois, ele se recusou a processar os que o haviam espancado, permanecendo firme no princípio de controle do egoísmo com respeito à pessoa infratora; além de que tinham sido os líderes da comunidade e do governo de Natal que haviam causado o problema.[2]

Entre 11 de outubro de 1899 até 31 de maio de 1902, foi travada a Segunda Guerra dos Bôeres. Em Natal, Gandhi incentivou os britânicos a recrutar indianos.[8] Ele argumentou que estes deveriam apoiar os esforços de guerra, a fim de legitimar suas reivindicações à cidadania plena.[8] Os britânicos aceitaram a oferta de Gandhi de liderar um destacamento de 20 voluntáriosindianos como um corpo padioleiro para tratar dos soldados feridos. Esse corpo foi comandado por Gandhi e operou por aproximadamente dois meses.[9] A experiência ensinou-lhe que era impossível desafiar diretamente o poder militar do exército britânico e que este só poderia ser combatido de uma forma não violenta. [10]

Gandhi acabou permanecendo vinte anos na África do Sul defendendo a minoria hindu, liderando a luta de seu povo pelos seus direitos.[11] Ele experimentou o celibato durante trinta anos de sua vida e, em 1906, retomou o juramento de Brahmacharya até o fim da vida.

De acordo com uma biografia recente bastante polêmica, Gandhi separou-se em 1908, quando já tinha quatro filhos, para viver com Hermann Kallenbach, um fisiculturista alemão de origem judaica que emigrara para a África do Sul e viria a tornar-se um de seus discípulos mais próximos. Viveram sob o mesmo teto por dois anos, separando-se quando Gandhi retornou à Índia em 1914. [12]

Satyagraha, a força da verdade

O primeiro uso de desobediência civil em massa ocorreu em setembro de 1906. O Governo de Transvaal quis registrar a população hindu inteira. Os hindus formaram uma massa que se encontrou no Teatro Imperial de Joanesburgo;[2] eles estavam furiosos com a ordem humilhante, e alguns ameaçaram exercer uma resposta violenta à ordem injusta.

Porém, eles decidiram, em grupo, se recusar a obedecer às providências de inscrição; havia unanimidade, e apenas alguns poucos se registraram. Gandhi decidiu chamar esta técnica, de se recusar a se submeter à injustiça, de Satyagraha, que quer dizer, literalmente: “força da verdade”. Uma semana depois de desobediência, as mulheres Asiáticas foram dispensadas do registro.[1] Quando o governo de Transvaal finalmente pôs em prática o “Ato de Inscrição Asiático” em 1907, Gandhi e vários outros hindus foram presos.

A pena dele foi de dois meses sem trabalho duro, dedicando-se durante esse período à leitura. Durante a vida, Gandhi passaria um total de mais de seis anos como prisioneiro. Enquanto lia na prisão, Gandhi travou contato, por carta, com Leon Tolstoi, um de seus ídolos. O escritor russo, com suas ideias libertárias, influenciou o indiano. Ele também indicou, a este, a leitura de Henry David Thoreau. Gandhi descobriu, então, a desobediência civil. Também teve, papel importante sobre o pensamento de Gandhi, a obra do pensador anarquista Piotr Kropotkin. Logo, ele começou a perceber, cada vez mais, as possibilidades infinitas do “amor universal”.

O movimento de protesto em prol da conquista dos direitos para os indianos na África do Sulcontinuou crescendo; em um certo ponto, foram presos 2 500 indianos dos 13 000 existentes na província, enquanto 6 000 fugiram do Transvaal.

Durante a desobediência civil, Gandhi desenvolveu o uso de ahimsa que significa “sem dor” e que, normalmente, é traduzido como “não violência”. Gandhi seguiu o preceito de “odiar o pecado e não o pecador. Desde que nós vivemos espiritualmente, ferir ou atacar outra pessoa é atacar a si mesmo. Embora nós possamos atacar um sistema injusto, nós sempre temos que amar as pessoas envolvidas. Assim, ahimsa é a base da procura pela verdade”.

Gandhi também foi atraído para a vida agrícola simples. Ele começou duas comunidades rurais de Satyagrahis: “Fazenda Fênix” e “Fazenda Tolstoi”. Escreveu e editou o diário “Opinião indiana”, para elucidar os princípios e a prática de Satyagraha. Três assuntos foram abordados e questionados: os direitos dos hindus na África do Sul; a proibição de imigrantes Asiáticos; e, por fim, o invalidamento de todos casamentos não Cristãos.

Em novembro de 1913, Gandhi conduziu uma marcha com mais de duas mil pessoas. Gandhi foi preso e solto após pagar fiança. Logo após, o prenderam novamente e o libertaram, e novamente foi preso depois de quatro dias de liberdade. Foi, então, condenado ao trabalho forçado durante três meses, mas as greves continuaram, envolvendo aproximadamente 50 000 operários, e milhares de indianos foram presos.

Finalmente, através de negociação, os assuntos foram resolvidos. Todos os matrimônios, independente de qual fosse a religião, se tornaram válidos; os impostos em atraso foram cancelados, e os operários, contratados; e foi concedida mais liberdade aos indianos.

Gandhi constatou o poder do método de Satyagraha e profetizou que ele poderia transformar a civilização moderna. “É uma força que, se se tornasse universal, revolucionaria ideais sociais e anularia o despotismos e o militarismo.”

Enquanto isso, a Índia ainda estava sofrendo debaixo das regras coloniais britânicas. Gandhi sugeriu que a Índia podia ganhar sua independência por meios não violentos e por via da autoconfiança. Gandhi rejeitou a força bruta e a opressão e declarou que a força da alma ou amor é que mantém a unidade das pessoas em paz e harmonia.

Retorno à Índia

De volta à Índia em 1915, Gandhi passou a exercer o papel de conscientizador da sociedade hindu e muçulmana sobre a luta pacífica pela independência indiana, baseada no uso da não violência. O uso da não violência, por sua vez, baseava-se no uso da desobediência civil.

Gandhi estava pronto para morar nas ruas sujas com os intocáveis se necessário, mas um benfeitor anônimo doou dinheiro suficiente para um ano. Gandhi passou então a ajudar os necessitados e as crianças carentes.

Em 1917, Gandhi ajudou as pessoas que trabalhavam em tecelagens, diante da exploração injusta dos proprietários sobre esses trabalhadores. Ele foi detido, mas logo perceberam que o Mahatma era o único que poderia controlar as multidões.

Reformas foram ganhas novamente por meio da desobediência civil. Os trabalhadores têxteis de Ahmedabad também eram economicamente oprimidos. Gandhi sugeriu uma greve e, como os trabalhadores temiam as consequências dela, ele fez um jejum para encorajar a continuação da greve.

O primeiro desafio de Gandhi ao governo britânico na Índia foi em resposta aos poderes arbitrários do “Rowlatt Act” de 1919. A Índia tinha cooperado com a Inglaterra durante a guerraː no entanto, lhe estavam sendo reduzidas as liberdades civis.

Guiado por um sonho ou experiência interna, Gandhi decidiu pedir um dia de greve geral. Porém, a filosofia de Mahatma não foi bem entendida pelas massas, e violências estouraram em vários lugares. O Mahatma se arrependeu declarando que tinha feito “um erro de cálculo”, e cancelou a campanha.

Gandhi fundou e publicou dois semanários sem anúncios – a “Índia Jovem” em inglês e o “Navajivan” em Gujarati. Em 1920, Gandhi iniciou uma campanha de âmbito nacional de não cooperação com o governo britânico que, para o camponês, significou o não pagamento de impostos e nenhuma compra de bebida alcoólica, pois o governo ganhava toda a renda de sua venda.

Gandhi realizou várias viagens ao longo de todo o território hindu, com a função de conseguir a conscientização em massa de todas as pessoas, mostrando a necessidade da prática da desobediência civil e do uso da não violência. Durante finais dos anos 1920, Gandhi escreveu uma autobiografia retratando suas experiências vividas. Nesse livro, descreveu os erros cometidos, e o esforço de os superar.

Em suas falas, ele exibe, através dos dedos da mão, seu programa de cinco pontos:

Esses cinco pontos, os cinco dedos representando o sistema, estavam conectados ao pulso, simbolizando a não violência.

Finalmente em 1928, ele anunciou uma campanha de Satyagraha em Bardoli contra o aumento de 22% em impostos britânicos. As pessoas se recusaram a pagar os impostos, sendo repreendidas pelo governo britânico. No entanto, os indianos continuavam não violentos. Finalmente, após vários meses, os britânicos cancelaram os aumentos, libertaram os prisioneiros, e devolveram as terras e propriedades confiscadas; e os camponeses voltaram a pagar seus tributos.

Ainda nesse ano, o Partido do Congresso Nacional Indiano quis a autonomia da Índia e considerou a guerra aos ingleses para conseguir esse fim. Gandhi se recusou a apoiar uma atitude como esta, porém declarou que, se a Índia não se tornasse um Estado independente ao final de 1929, então ele exigiria sua independência.

A “Marcha do Sal”

Por conseguinte, em 1930, Mahatma Gandhi informou, ao vice-rei, que a desobediência civil em massa iniciaria-se no dia 11 de março. “Minha ambição é nada menos que converter as pessoas britânicas à não violência, e, assim, lhes fazer ver o mal que fizeram para a Índia.[13] Eu não busco prejudicar as pessoas.” Gandhi decidiu desobedecer as “Leis do Sal” que proibiam os hindus de fazer seu próprio sal;[13] este monopólio britânico golpeou especialmente os pobres.

Começando com setenta e oito participantes, Gandhi iniciou uma marcha de 124 milhas para o mar que duraria mais de vinte e quatro dias. Milhares tinham se juntado no começo, e vários milhares uniram-se durante a marcha.[1] Primeiro, Gandhi e, então, outros, juntaram um pouco de água salgada à beira-mar em panelas, deixando-as ao sol para secar. Em Bombaim, o Partido do Congresso Nacional Indiano colocou panelas no telhado; 60 000 pessoas juntaram-se ao movimento, e foram presas centenas delas. Em Karachi, onde 50 000 assistiram ao sal sendo feito, a multidão era tão espessa que impedia a polícia de efetuar alguma apreensão. As prisões estavam lotadas com pelo menos 60 000 transgressores. Incrivelmente, lá “não havia praticamente nenhuma violência por parte da população; as pessoas não queriam que Gandhi cancelasse o movimento.”[13]

Gandhi foi preso, mas o amigo dele, Sarojini Naidu, conduziu 2 500 voluntários e os advertiu a não resistir às interferências da polícia. De acordo com uma testemunha ocular, o repórter Miller de Webb, eles continuaram marchando até serem detidos por quatrocentos policiais, mas eles não tentaram lutar.

2 de Outubro – Mahatma Gandhi – 1869 – 148 Anos em 2017 – Acontecimentos do Dia – Rabindranath Tagore e Gandhi em 1940..

Tagore declarou que a Europa tinha perdido a moral e o prestígio na Ásia.

Logo, mais de 100 000 hindus estavam na prisão, incluindo quase todos os seus líderes.

Gandhi foi chamado a uma reunião com o vice-rei Irwin em 1931, e eles firmaram um acordo em março. A desobediência civil foi cancelada; foram libertados os prisioneiros;[13] a fabricação de sal foi permitida na costa; e os líderes do Partido do Congresso Nacional Indiano assistiriam à próxima conferência de mesa-redonda em Londres. Para participar desta conferência, Gandhi viajou novamente a Londres, onde conheceu Charlie Chaplin, George Bernard Shaw e Maria Montessori, entre outros.[13] Em transmissão de rádio para os Estados Unidos, ele falou que a força não violenta é um modo mais consistente, humano e digno. Discutindo relações com os britânicos, ele disse que ele não quis somente a independência, mas também a interdependência voluntária baseada no amor.

Enquanto preso em 1932, Gandhi entrou em um jejum em nome dos Harijans porque, a eles, tinha sido determinado que formassem um eleitorado separado. Poderia ser um jejum até a morte, a menos que ele pudesse despertar a consciência hindu. O assunto foi resolvido, e até mesmo templos hindus destinados aos “intocáveis” foram abertos pela primeira vez.[13] No próximo ano, Gandhi fez um jejum de vinte e um dias para purificação, e os funcionários britânicos, amedrontados de que ele pudesse morrer, colocaram-no na prisão. Gandhi anunciou que não se ocuparia da desobediência civil até que sua oração fosse completada.

Mesmo com a Segunda Guerra Mundial se aproximando, Gandhi confirmou seus princípios pacifistas. Ele mostrou como a Abissínia (Etiópia) poderia ter usado a não violência contra Mussolini, e ele a recomendou para os Tchecos e para os chineses. “Se é valente, como é, morrer, a um homem que luta contra preconceitos, é ainda valente se recusar a briga e ainda recusar se render ao usurpador”.

Já em 1938, ele exortou os judeus a defender os seus direitos e, se necessário, morrer como mártires. “Uma caçada humana degradante pode ser transformada em uma postura tranquila e determinada, oferecendo-se, aos homens e mulheres desarmados, a força dada a eles por Jehovah.” Mahatma recomendou o uso de métodos não violentos aos britânicos para combater Hitler, já que não podia dar seu apoio a qualquer tipo de guerra ou matança.

O Partido do Congresso Nacional Indiano prometeu, a Gandhi, que ele ficaria fora da prisão, mas outros 23 223 indianos foram presos, inclusive Vinoba Bhave, Jawaharlal Nehru e Patel. Em 1942, Gandhi sugeriu modos para resistir não violentamente aos japoneses. Ele propôs, às pessoas japonesas, a causa da “federação mundial da fraternidade, sem a qual não poderia haver nenhuma esperança para a humanidade“.

Porém, Gandhi continuou exercendo uma revolução não violenta para a Índia e, em 1942, ele e outros líderes foram presos. Ele decidiu jejuar novamente, sendo que apenas ele sobreviveu. Quando a guerra terminou, ele afirmou sobre a necessidade de “uma paz real baseada na liberdade e igualdade de todas as raças e nações”. Nos últimos anos de sua vida, ele havia dito: “violência é criada por desigualdade, a não violência pela igualdade“.

Ele foi a uma peregrinação para Noakhali para ajudar aos pobres. A independência para a Índia era agora iminente, mas Jinnah, o líder muçulmano, estava exigindo a criação de um estado separado: o Paquistão. Gandhi pregou em favor da unidade e tolerância, até mesmo lendo, às reuniões, o Alcorão.

Os hindus o atacaram porque pensaram que ele era a favor dos muçulmanos, e os muçulmanos exigiram, dele, a criação do Paquistão. Gandhi foi para Calcutá para acalmar a discussão e a violência entre hindus e muçulmanos. Mais uma vez, ele jejuou até que os líderes da comunidade assinaram um acordo para manter a paz. Antes de que eles assinassem, ele os advertiu de que, se se rebelassem, ele jejuaria até a morte. Gandhi, em janeiro de 1948, fez muito para acalmar os conflitos entre hindus e muçulmanos, permitindo a divisão da Índia em dois países.

O movimento pela independência indiana

Caricatura de Gandhi sendo preso por Lord Willingdon, no início da década de 1930. O desenho representa a compreensão de que colocá-lo tantas vezes na prisão terminou por ser uma forma de multiplicar seus ensinamentos.

Após a guerra, Gandhi se envolveu com o Congresso Nacional Indiano e com o movimento pela independência. Ganhou notoriedade internacional pela sua política de desobediência civil e pelo uso do jejum como forma de protesto.

Por esses motivos, sua prisão foi decretada diversas vezes pelas autoridades britânicas, prisões às quais sempre se seguiram protestos pela sua libertação (por exemplo, em 18 de março de 1922, quando foi sentenciado a seis anos de prisão por desobediência civil, dos quais cumpriu apenas dois anos).

Outra estratégia eficiente de Gandhi pela independência foi a política do swadeshi – o boicote a todos os produtos importados, especialmente os produzidos na Inglaterra.[14] Aliada a esta estratégia, estava sua proposta de que todos os indianos deveriam vestir o khadi – vestimentas caseiras – ao invés de comprar os produtos têxteis britânicos.

Gandhi declarava que toda mulher indiana, rica ou pobre, deveria gastar parte do seu dia fabricando o khadi em apoio ao movimento de independência. Esta era uma estratégia para incluir as mulheres no movimento, em um período em que pensava-se que tais atividades não eram apropriadas às mulheres.

Sua posição pró-independência endureceu após o Massacre de Amritsar em 1920, quando soldados britânicos abriram fogo matando centenas de indianos que protestavam pacificamente contra medidas autoritárias do governo britânico e contra a prisão de líderes nacionalistas indianos.[14]

Uma de suas mais eficientes ações foi a marcha do sal, conhecida como Marcha Dândi, que começou em 12 de março de 1930 e terminou em 5 de abril, [14] quando Gandhi levou milhares de pessoas ao mar a fim de coletarem seu próprio sal ao invés de pagar a taxa prevista sobre o sal comprado.

Em 8 de Maio de 1933, Gandhi começou um jejum que duraria 21 dias em protesto à opressão britânica contra a Índia.[14] Em Bombaim, no dia 3 de março de 1939, Gandhi jejuou novamente em protesto às regras autoritárias e autocráticas para a Índia.

Segunda Guerra Mundial

Gandhi passou cada vez mais a pregar a independência durante a II Guerra Mundial, através de uma campanha clamando pela saída dos britânicos da Índia (Quit Índia, literalmente Saiam da Índia), que, em pouco tempo, se tornou o maior movimento pela independência indiana, ocasionando prisões em massa e violência em uma escala inédita.

Gandhi e seus partidários deixaram claro que não apoiariam a causa britânica na guerra a não ser que fosse garantida, à Índia, independência imediata.

Durante este tempo, ele até mesmo cogitou um fim do seu apelo à não violência, um princípio até então intocável, alegando que a “anarquia ordenada” ao redor dele era “pior do que a anarquia real”. Foi, então, preso em Bombaim pelas forças britânicas em 9 de agosto de 1942 e mantido em cárcere por dois anos.

A divisão da Índia entre hindus e muçulmanos

Gandhi teve grande influência entre as comunidades hindu e muçulmana da Índia. Costuma-se dizer que ele terminava rixas comunais apenas com sua presença. Gandhi posicionou-se veementemente contra qualquer plano que dividisse a Índia em dois estados, o que efetivamente aconteceu, criando a Índia – predominantemente hindu – e o Paquistão – predominantemente muçulmano.

No dia da transferência de poder, Gandhi não celebrou a independência com o resto da Índia, mas ao contrário, lamentou sozinho a partilha do país em Calcutá.

Gandhi tinha iniciado um jejum no dia 13 de janeiro de 1948 em protesto contra as violências cometidas por indianos e paquistaneses. No dia 20 daquele mês, sofreu um atentado: uma bomba foi lançada na sua direção, mas ninguém ficou ferido.

Entretanto, no dia 30 de janeiro de 1948, Gandhi foi assassinado a tiros, em Nova Déli, por Nathuram Godse, um hindu radical que responsabilizava Gandhi pelo enfraquecimento do novo governo ao insistir no pagamento de certas dívidas ao Paquistão. Godse foi, depois, julgado, condenado e enforcado, a despeito do último pedido de Gandhi, que foi, justamente, a não punição do seu assassino.

O corpo do Mahatma foi cremado, e suas cinzas foram jogadas no rio Ganges.

Cronologia

Princípios

A filosofia de Gandhi e suas ideias sobre o satya e o ahimsa foram influenciadas pelo Bhagavad Gita e por crenças hindus e da religião jainista. O conceito de não violência (ahimsa) já faz parte há muito tempo do pensamento religioso da Índia e pode ser encontrado em diversas passagens do textos hindus, budistas e jainistas. Gandhi explica sua filosofia como um modo de vida em sua autobiografia A História de meus Experimentos com a Verdade (As Minhas Experiências com a Verdade, em Portugal) – (The Story of my Experiments with Truth).

Sendo lactovegetariano, escreveu livros sobre o vegetarianismo enquanto estudava direito em Londres (onde encontrou um entusiasta do vegetarianismo, Henry Stephens Salt, nos encontros da chamada Sociedade Vegetariana). Ser vegetariano fazia parte das tradições hinduse jainistas. A maioria dos hindus no estado de Gujarat eram-no, efetivamente. Gandhi experimentou diversos tipos de alimentação e concluiu que uma dieta deve ser suficiente apenas para satisfazer as necessidades do corpo humano. Jejuava muito, e usava o jejum frequentemente como estratégia política.

Gandhi renunciou ao sexo quando tinha 36 anos de idade e ainda era casado, uma decisão que foi profundamente influenciada pela crença hindu do brahmacharya, ou pureza espiritual, largamente associada ao celibato. Também passava um dia da semana em silêncio. Abster-se de falar, segundo acreditava, lhe trazia paz interior. A mudez tinha origens nas crenças do mouna e do shanti. Nesses dias, ele se comunicava com os outros apenas escrevendo.

Depois de retornar à Índia de sua bem-sucedida carreira de advogado na África do Sul, ele deixou de usar as roupas que representavam riqueza e sucesso. Passou a usar um tipo de roupa que costumava ser usada pelos mais pobres entre os indianos. Promovia o uso de roupas feitas em casas (khadi).

Gandhi e seus seguidores fabricavam artesanalmente os tecidos da própria roupa e usavam esses tecidos em suas vestes; também incentivava os outros a fazer isso, o que representava uma ameaça ao negócio britânico – apesar de os indianos estarem desempregados, em grande parte pela decadência da indústria têxtil, eles eram forçados a comprar roupas feitas em indústrias inglesas. Se os indianos fizessem suas próprias roupas, isso arruinaria a indústria têxtil britânica, ao invés de fortalecê-la.

O tear manual, símbolo desse ato de afirmação, viria a ser incorporado à bandeira do Congresso Nacional Indiano e à própria bandeira indiana.

Também era contra o sistema convencional de educação em escolas, preferindo acreditar que as crianças aprenderiam mais com seus pais e com a sociedade. Na África do Sul, ele e outros homens mais velhos formaram um grupo de professores que lecionava diretamente e livremente às crianças.

Dentro do ideal de paz e não violência que ele defendia, uma de suas frases foi: “Não existe um caminho para paz! A paz é o caminho!”.

Felicidade é quando o que você pensa, o que você diz e o que você faz estão em harmonia.

Representações artísticas

A representação mais famosa da vida de Gandhi é o filme Gandhi, de 1982, dirigido por Richard Attenborough e com Ben Kingsley como protagonista.

Outro filme que trata da vida de Gandhi, particularmente de sua passagem pela África do Sul, é The Making of the Mahatma, dirigido por Shyam Benegal.

No Brasil, o ator João Signorelli interpreta o papel do Mahatma na peça teatral “Gandhi, um líder servidor”, monólogo de autoria de Miguel Filiage concebido em 2003. Uma das citações de Gandhi selecionada para a peça foi: “Nós devemos ser a revolução que queremos ver no mundo.”

Em Deli, foi criado o “Museu Gandhi” (National Gandhi Museum), com a finalidade de manter viva a sua memória.

Indicações para o Prêmio Nobel da Paz

Gandhi nunca recebeu o prêmio Nobel da Paz, apesar de ter sido indicado cinco vezes entre 1937 e 1948. Décadas depois, no entanto, o erro foi reconhecido pelo comitê organizador do Nobel.

Quando o Dalai Lama Tenzin Gyatso recebeu o prêmio em 1989, o presidente do comitê disse que o prêmio era “em parte um tributo à memória de Mahatma Gandhi”.[15]

Comentários a respeito de Gandhi

Ao longo de sua vida, as atividades de Gandhi atraíram todo tipo de comentário e opinião.

Winston Churchill chegou a chamá-lo de faquir castanho”.

Sobre Gandhi, Albert Einstein escreveu que “as gerações por vir terão dificuldade em acreditar que um homem como este realmente existiu e caminhou sobre a Terra.[16]

CITAÇÃO

Mahatma Gandhi – O poder do querer

“A força não provém da capacidade física. Provém de uma vontade indomável.”

Mahatma Gandhi / Fonte: Pensador

Mahatma Gandhi

Mohandas Karamchand Gandhi

em hindi: मोहनदास करमचन्द गान्धी;

em guzerate: મોહનદાસ કરમચંદ ગાંધી;

(Porbandar, 2 de outubro de 1869Nova Déli, 30 de janeiro de 1948)

148 Anos

4 ▒ ACONTECIMENTOS


1789 – É votada definitivamente a Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, uma das cartas constitucionais mais revolucionárias da história moderna.


1947 – Inauguração do MASP.


1950 – Estréia nos jornais a tira Peanuts, criada por Charles M. Schulz, e estrelada pelo personagem Charlie Brown e seu cachorro Snoopy.


Cidade de Conacri, capital da Guiné.

1958 – Independência da Guiné (de França).


1960 – Inauguração do Estádio do Morumbi.

1974 – Última partida de Pelé com a camisa do Santos contra a Ponte Preta na Vila Belmiro.


1977Niki Lauda é bicampeão mundial de Fórmula 1.


1992 – Afastamento de Fernando Collor, presidente do Brasil, após sofrer impeachment em 29 de setembro.


1999 – O asteroide 2959 Scholl foi avistado pela única vez.


2009 – A cidade do Rio de Janeiro ganha o direito pelo COI de sediar as Olimpíadas de 2016.

Brasil x Alemanha – Fut. Masculino – Rio 2016 – Usain Bolt comemora gol de Neymar.


Neymar homenageia Usain Bolt na arquibancada, com o gesto característico do velocista jamaicano. Sete anos depois de 2009, quando o Brasil ganhou o direito de sediar as Olimpíadas de 2016, no Rio.

5 ▒ FALECIMENTOS

1804Nicolas-Joseph Cugnot ▒ Nicolas-Joseph Cugnot (Void-Vacon, 25 de setembro de 1725Paris, 2 de outubro de 1804) foi um inventor francês. Construiu o que pode ter sido o primeiro veículo autopropulsionado do mundo, um veículo de transporte de carga de três rodas construído em madeira. A máquina de Cugnot de 1771 encontra-se preservada no Conservatoire national des arts et métiers, em Paris.


1968Marcel Duchamp ▒ Marcel Duchamp (Blainville-Crevon, 28 de julho de 1887Neuilly-sur- Seine, 2 de outubro de 1968)[1] foi um pintor, escultor e poeta francês,[2] cidadão dos Estados Unidos a partir de 1955, e inventor dos ready made.


1985Rock Hudson ▒ Rock Hudson, nascido Roy Harold Scherer Jr. (Winnetka, 17 de Novembro de 1925Beverly Hills, 2 de outubro de 1985),[1] foi um ator norte-americano. Apesar de ter sido amplamente conhecido como um galã nos anos 1950 e 1960, muitas vezes estrelando comédias românticas ao lado de Doris Day, Hudson também é reconhecido por papéis dramáticos em filmes como Assim Caminha a Humanidade e Sublime Obsessão.

1997Thales Pan Chacon ▒ Thales Pan Chacon (São Paulo, 23 de novembro de 19562 de outubro de 1997) foi um ator, bailarino e coreógrafo brasileiro[1]. Conheceu o reconhecimento profissional do grande público ao atuar ao lado de Fernanda Torres em Eu sei que vou te amar, filme pelo qual Fernanda ganhou o prêmio de melhor atriz no Festival de Cannes.


1997Carybé ▒ Carybé, nome artístico de Hector Julio Páride Bernabó (Lanús, 7 de fevereiro de 1911Salvador, 2 de outubro de 1997), foi um pintor, gravador, desenhista, ilustrador, ceramista, escultor, muralista, pesquisador, historiador e jornalista argentino, brasileiro naturalizado e residente no Brasil desde 1949 até sua morte.


2007Tetsuo Okamoto ▒ Tetsuo Okamoto (Marília, 20 de março de 1932 – Marília, 2 de outubro de 2007) foi um nadador brasileiro. Foi o primeiro atleta a ganhar uma medalha olímpica na história da natação brasileira, uma medalha de bronze, conquistada nos Jogos Olímpicos de Verão de 1952 em Helsinque, nos 1500 metros livre. No ano anterior já havia sido o primeiro campeão pan- americano da natação, em Buenos Aires.



Tetsuo Okamoto

6 ▒ FERIADOS e EVENTOS CÍCLICOS

7 ▒ TRAGÉDIAS da HUMANIDADE


Retrato do ator Rodrigo Santoro, do médico Drauzio Varella e de Hector Babenco, produtor do filme ‘Carandiru’, posando para foto no Sundance Film Festival 2004, em Utah. O filme, retrata o drama do massacre.

1992 – Chacina do Carandiru:

Massacre ocorrido após uma rebelião de centenas de presos que resultou na execução de 111 detentos pela polícia.


2016 – Eleições Municipais no Brasil.

Mais de 5.000 ex-prefeitos com contas reprovadas são ‘milagrosamente’ reinseridos como candidatos de ‘ficha limpa’, nas eleições municipais em suas cidades, pelo então presidente do STF, o ministro Ricardo Lewandowski. Isso ocorre, no momento em que o Brasil atravessa seu pior momento histórico na política, em relação à ‘corrupção sistêmica’ de seus representantes, que se alastrou por todos os grandes partidos políticos da Nação.

Depois de mais de uma década de escândalos envolvendo os mais altos postos do Executivo e Legislativo no país (o Judiciário ainda está longe de ser investigado propriamente), a Operação Lava Jato e outras iniciativas da sociedade civil organizada e suas instituições, já levaram diversos políticos e empresários à condenação de prisão, e conseguiram o ressarcimento de uma pequena parte do dinheiro público ‘roubado’ da população.

8 ▒ CIDADES ANIVERSARIANTES

Dados do IBGE

Aragarças (GO)

Bonito (MS)

Campanha (MG)

Canhotinho (PE)

Cruzeiro (SP)

Macau (RN)

Minas Novas (MG)

Óbidos (PA)

Porto Velho (RO)

Serrinha (RN)

Porto Velho (RO)

103 Anos

2 de outubro de 1914

portovelho.ro.gov.br

Porto Velho é um município brasileiro e capital do estado de Rondônia

 Com uma população de 519,436 habitantes, conforme estimativas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE/2017), é o município mais populoso de Rondônia, e o terceiro da Região Norte, atrás de Manaus e Belém e o mais populoso município da Região fora do eixo AmazonasPará.

Situado na margem à leste do Rio Madeira, na Região Norte do Brasil, Porto Velho foi fundado pela empresa americana Madeira Mamoré Railway Company em 4 de julho de 1907, durante a construção da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré, comandada pelo magnata norte-americano Percival Farquhar.

Entre todos os municípios brasileiros, é o 45° mais populoso, figurando no mesmo ano como a 21ª capital estadual do país com mais habitantes.

É a capital brasileira com maior área territorial, com mais de 34 mil km² (mais extenso que a Bélgica e Israel), sendo também o mais populoso município fronteiriço do Brasil. Ao lado de Teresina, é uma capital estadual que faz fronteira com município de outro estado. É a única capital estadual que faz fronteira com outro país, a Bolívia.

Em 2 de outubro de 1914 foi legalmente criado como um município do Amazonas, transformando-se em capital do estado de Rondônia em 1943, quando criou-se o Território Federal do Guaporé.[9] Em termos econômicos, a cidade detém o quarto maior PIB da Região Norte, depois de Manaus, Belém e Parauapebas, além de ter sido a capital estadual que mais cresce economicamente no país, com crescimento do PIB em 30,2% em 2009.[10] Em 2010, o PIB de Porto Velho foi estimado em R$ 7,5 bilhões, segundo o IBGE, respondendo por cerca de 1 terço do PIB de Rondônia naquele ano.[8]

História

Ver artigo principal: História de Porto Velho

Em 15 de janeiro de 1873, o Imperador Dom Pedro II assinou o Decreto-Lei nº 5.024, autorizando navios mercantes de todas as nações a subirem o rio Madeira. Em decorrência, foram construídas modernas instalações de atracação na cachoeira de Santo Antônio, que passou a ser denominado Porto Novo.

Desde sua origem, Porto Velho tem sido fortemente influenciada por diferentes ciclos econômicos que deixaram profundas marcas na sua paisagem. O primeiro desses ciclos teve início nos meados do século XIX, na busca de se construir uma ferrovia que, superando o trecho encachoeirado do rio Madeira (cerca de 380 km), possibilitasse o escoamento da borracha produzida na região do vale dos rios Mamoré, Guaporé e Beni.

Em 1914, o Estado do Amazonas criou o Município de Porto Velho, e no mesmo ano o instalou. Cinco anos mais tarde Porto Velho foi elevada à categoria de Cidade, sendo a estrada de ferro fator determinante neste processo. Deve-se reconhecer, também, a relevante importância, para o desenvolvimento de Porto Velho, do rio Madeira que, até a construção da BR-364 e da BR-319, era a única alternativa de ligação com o Centro Sul e com as metrópoles regionais de Manaus e Belém, ao Norte.

Enquanto a borracha apresentava importância comercial, houve nessa cidade e região, fases de grande crescimento e progresso, principalmente no período da 2ª Grande Guerra Mundial, quando a Alemanha e seus aliados impediram a saída da borracha produzida na Malásia para abastecer os países que a combatiam.

No final dos anos 50, com a descoberta da cassiterita (minério de estanho), começa um novo ciclo de desenvolvimento regional, denominado ciclo do minério, que teve seu ápice com a exploração de ouro no rio Madeira na década de 80.

O Território foi finalmente transformado em Estado no final de 1981, tendo a sua instalação ocorrido em 1982, confirmando-se Porto Velho como sua Capital. Atualmente a cidade encontra-se na iminência de vivenciar novo ciclo de desenvolvimento econômico e populacional que está diretamente associado à construção de duas grandes usinas hidrelétricas no rio Madeira.

Emancipações

Tornou-se município em 1914, quando ainda pertencia ao Estado do Amazonas. Em 1943, passou à condição de capital e, juntamente com o município de Guajará-Mirim, passou a constituir o Território Federal do Guaporé, que em 1956 passou a ser denominado Rondônia, vindo a ser elevado à categoria de estado (subdivisão) em 4 de janeiro de 1982. [9]

Geografia

A capital rondoniense se localiza na parte oeste da Região Norte do Brasil, na área abrangida pela Amazônia Ocidental no Planalto Sul-Amazônico, uma das parcelas do Planalto Centralbrasileiro.

Relevo

O relevo do município é pouco acidentado, não apresentando grandes elevações ou depressões, com variações de altitudes que vão de 70 metros a pouco mais de 600 metros. A região situa-se no vale do rio Madeira, entre a planície amazônica e o planalto central brasileiro.

Hidrografia

Porto Velho está localizada na Bacia do Rio Amazonas. O Rio Madeira é o principal rio que banha o município, vindo do sul da Bolívia.

Clima

Porto Velho possui um tropical superúmido, de transição entre clima semiúmido da Região Centro- Oeste e o equatorial predominante na Região Norte.

Economia

O PIB de Porto Velho em 2010 era de R$ 7.522.929,00 e o PIB Per capita R$ 17.636,36.

Porto Velho recebeu 5 mil novas empresas em apenas um ano, além de 30 mil novos empregos. Segundo a Federação das Indústrias do Estado de Rondônia (FIERO), o Estado possui hoje a maior taxa de ocupação da população economicamente ativa da região Norte (94,6%) e a segunda menor taxa de desemprego do Brasil. A renda média do trabalhador porto-velhense é também a mais alta da região: R$ 880,00, acima da média nacional.

Turismo

É a 8ª cidade da Região Norte, 5º destino de empresários vindos da Bolívia a negócios e eventos.

As atrações históricas são a Estrada de Ferro Madeira-Mamoré, cenário da série de televisão Mad Maria,[34] produzida pela Rede Globo; a Catedral do Sagrado Coração de Jesus; o Cemitério da Candelária; a sede da Arquidiocese; o terminal ferroviário; a locomotiva Coronel Church (a primeira máquina vinda para a Amazônia, em 1872), as Caixas D’Água (símbolos da cidade, edificadas pelos ingleses); e a igreja de Santo Antônio do rio Madeira. [35]

  • As Três Caixas D’Água: vindas em módulos metálicos dos Estados Unidos.
  • Estrada de Ferro Madeira-Mamoré: apesar de ter sido um centro ferroviário, a cidade não conta mais com o passeio de trem, que foi desativado por falta de conservação da linha.
  • Parque Natural Municipal de Porto Velho
  • Parque da Cidade[36]
  • Passeio de Barco no Rio Madeira
  • Palácio Getúlio Vargas
  • Mercado Cultural
  • Mercado do km 1
  • Museu Geológico
  • Museu Internacional do Presépio
  • Museu Ferroviário
  • Museu Dom João Batista Costa
  • Memorial Governador Jorge Teixeira
  • Teatro Estadual Palácio das Artes
  • Casa de Cultura Ivan Marrocos
  • Teatro do SESC
  • Porto Velho Shopping
  • Porto Madeira Shopping

Existem três meios de transportes para se chegar a Porto Velho: Rodoviário, Aéreo e Fluvial através da Hidrovia do Madeira. Para seguir ao Estado do Amazonas é pela BR-319 sobre uma ponte de Porto Velho no Rio Madeira. A cidade conta com um aeroporto internacional. Os meios de transporte mais utilizados para Manaus é o Aéreo e o Fluvial. Em 2012, Porto Velho possuía uma frota de 207 318 veículos.[40]

Aeroporto

O Aeroporto Internacional Governador Jorge Teixeira é o mais importante do estado e recebe voos diários de Brasília, Belo Horizonte, Cuiabá, Manaus e Rio Branco, dos municípios do interior do estado de Rondônia como Ji-Paraná e Vilhena e do interior do Amazonas como Humaitá, Lábrea e Manicoré. Também conta com voo para Porto Alegre, com escalas em Campinas, Rio de Janeiro, Cuiabá, Campo Grande e Curitiba; para São Paulo, com escala em Brasília e Cuiabá; e para Fortaleza, com escala em Manaus e Belém,além de outros destinos com menor fluxo de passageiros.

O aeroporto tem capacidade de receber 920 mil passageiros por ano e opera com as principais companhias aéreas nacionais e regionais, tais como LATAM, Gol e Azul.

Rodovias

A Rodoviária fica na Avenida Governador Jorge Teixeira (hoje considerada uma rodovia, a BR-319, sob administração dos órgãos públicos federais).

Porto Velho é cortada por duas rodovias federais, a citada BR-319 e a principal delas, a BR-364, única rodovia federal a cortar o Estado no sentido norte- sul, passando pelas principais cidades rondonienses.

Porto

O Porto Graneleiro – Sociedade de Portos e Hidrovias de Rondônia (SOPH) – faz parte do corredor de exportação de grãos, principalmente a soja, que vem do sul do Estado e do Mato Grosso (Sapezal e cidades vizinhas). A soja in natura embarcada em Porto Velho segue a Itacoatiara, de balsa, e de lá em navios para a América do Norte, Europa e Ásia. Além de grãos e outras mercadorias, como a madeira, o porto também escoa os produtos a da cadeia de carne e laticínios.

No Porto do Cai n’Água, há embarcações que fazem o trajeto até Humaitá, Manicoré e Manaus, municípios do Amazonas, como também das localidades do Baixo Madeira, como São Carlos, Calama e outras pequenas localidades.

Cultura e sociedade

Ver artigo principal: Cultura de Porto Velho

Porto Velho é a síntese da diversidade cultural do Estado de Rondônia e demonstra seu pluralismo através de seu calendário de festas, onde se destacam os festejos de Carnaval com a tradicional Banda do Vai Quem Quer, fundado no ano de 1981 por Manoel Mendoça, o Manelão, e que reúne mais de 100 mil pessoas nas ruas da capital de Rondônia durante os festejos de Carnaval.[41]

9 ▒ GALERIA de FOTOS

10 ▒ CRÉDITOS

Datas, fatos e os nascimentos mais importantes no Brasil e no Mundo, em todos os dias do ano, ilustrado com fotos e curiosidades.

SITE ► acontecimentosdodia.com

FONTE PRINCIPAL ► WIKIWAND

OUTRAS FONTES de PESQUISA:

Cidades IBGEFilmowAdoro CinemaBIO (facebook)GShowAniv.DiaAniv.FamososHistoryHistory (facebook)

Paul Sampaio, perfil, 1  Paul Sampaio – Autor

PESQUISA e REALIZAÇÃO

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s