☺ CAPA – Usain Bolt 31 Anos

▒ CIDADE – Nilópolis (RJ) 70 Anos

▒ ANIV. – Count Basie • Melvin Van Peebles • Wilt Chamberlain • Bento Prado Jr • Kenny Rogers • Clarence Williams III • Loretta Devine • Kim Cattrall • Vadão • Carrie-Anne Moss • Carmo Dalla Vecchia • Murilo Rosa • Hayden Panettiere • Felipe Nasr

▒ FATOS – Austrália • Vasco da Gama • Parque do Ibirapuera • Letônia

▒ ÓBITOS – Maria Quitéria • Irineu Marinho • Leon Trotsky • Raul Seixas

1 ▒ POSTER e VÍDEOS

GALERIA de VÍDEOS
Principais Vídeos da WEB publicados no Acontecimentos do Dia e outras WEB TVs da Rede Sampaio

2 ▒ NASCIMENTOS

1904Count Basie ▒ William “Count” Basie (21 de Agosto de 190426 de Abril de 1984) foi um pianista, compositor e bandleader de jazz (swing era) estadunidense.

Foi chamado de “Count” (Conde em português), considerando sua importância entre os grandes mestres da Swing era como Benny Goodman (Rei), Duke Ellington (Duque), Lester Young(Presidente) e Billie Holliday (Dama).[1]


1932Melvin Van Peebles ▒ Melvin “Block” Van Peebles (21 de Agosto de 1932) é um ator, diretor, roteirista, dramaturgo, novelista e compositor Norte- Americano. Melhor conhecido pela sua criação mais aclamada, Sweet Sweetback’s Baadasssss Song, o qual abriu portas para uma nova safra de filmes afro- americanos. Ele também é pai do ator e diretor Mario Van Peebles.


1936Wilt Chamberlain ▒ Wilton Norman Chamberlain (21 de Agosto de 193612 de Outubro de 1999) foi um jogador de basquetebol norte- americano. Será sempre lembrado como um dos maiores jogadores de basquetebol de todos os tempos.

Além de vencer o título da NBA em duas oportunidades (1967 e 1972), Wilt Chamberlain também quebrou diversos recordes individuais da NBA em pontos e rebotes: É o único jogador em todos os tempos a fazer 100 pontos em um jogo da NBA.


1937Bento Prado Júnior ▒ Bento Prado de Almeida Ferraz Júnior, conhecido como Bento Prado, ou Prado Jr. (Jaú, 21 de agosto de 1937São Carlos, 12 de janeiro de 2007), foi professor de Filosofia na Universidade de São Paulo, filósofo, escritor, professor, crítico literário, tradutor e poeta brasileiro. Foi cassado pela ditadura militar em abril de 1969 juntamente com seu colega José Arthur Giannotti e exilou-se na França.


 1938Kenny Rogers ▒ Kenneth Donald Rogers (Houston, Texas, 21 de agosto de 1938) é um prolífico cantor de música country norte-americano, além de fotógrafo, produtor e ator. Rogers também foi um dos líderes do grupo USA for Africa, que teve como objetivo ajudar as vítimas da fome e doenças em África.


1939Clarence Williams III ▒ Clarence Williams III (Nova York, Nova York, 21 de agosto de 1939) Trabalhou na série de TV “The Mod Squad” e no filme “Purple Rain ”. Ele também participou de A Filha do general, Star Trek: Deep Space Nine e 52 Pick-Up.


1949Loretta Devine ▒ Loretta Devine (Houston, 21 de agosto de 1949) é uma atriz e cantora estadunidense. Mais conhecida por seus papeis como Marla Hendricks na serie Boston Public, Adele Webber em Grey’s Anatomy e Patti Dellacroix em Eli Stone.

Fez também uma participação na serie Todo Mundo Odeia o Chris, onde interpretou Maxine, a avó de Chris.

1956Kim Cattrall ▒ Kim Victoria Cattrall (Liverpool, 21 de agosto de 1956)[1] é uma atriz anglocanadense. Aos três meses mudou-se com seus pais para o Canadá. Fala alemão fluentemente e uma de suas atuações mais notórias foi como Samantha Jones, na série Sex and the City.


1956Vadão ▒ Oswaldo Fumeiro Alvarez,[1] mais conhecido como Vadão (Monte Azul Paulista, 21 de agosto de 1956)[2] é um treinador de futebol brasileiro. No início da década de 1990, ganhou notoriedade do meio futebolístico, pelo super- ofensivo time que montou no Mogi Mirim Esporte Clube, que na época ganhou o apelido de “Carrossel Caipira”. Treinou a Seleção Brasileira Feminina nos Jogos Olímpicos de 2016, no Rio.


1967Carrie-Anne Moss ▒ Carrie-Anne Moss (Burnaby, 21 de agosto de 1967) é atriz canadense, às vezes creditada como Carrie Anne Moss, Carrie Ann Moss ou Carrie Moss. Destaque para suas participações em Matrix Revolutions (2003), Matrix Reloaded (2003) e Matrix (1999), o primeiro filme da franquia. Em 2015, esteve em Frankenstein.


1970Carmo Dalla Vecchia ▒ Carmo Dalla Vecchia (Carazinho, 21 de agosto de 1970) é um ator brasileiro. Deu vida ao misterioso Luciano de Cobras & Lagartos, personagem esse que deu ao ator o reconhecimento na mídia. Em 2008, viveu o jornalista Zé Bob, protagonista masculino de A Favorita. Também atuou como Alcino, em Cama de Gato, um dos personagens centrais da novela das seis global.


1970Murilo Rosa ▒ Murilo Araújo Rosa (Brasília, 21 de agosto de 1970) é um ator brasileiro. Em 2010 foi protagonista no filme de Tizuka Yamazaki, Aparecida. E voltou às novelas em “Araguaia”, como o encantador de cavalos Solano Rangel. A novela Araguaia foi indicado e finalista do prêmio Emmy. [3]Em 2012, na novela Salve Jorge. No ano de 2013, fez o filme Vazio Coração, como o cantor Hugo Kari, ao lado de Lima Duarte, Othon Bastos.


1989Hayden Panettiere ▒ Hayden Leslie Panettiere (Palisades, 21 de agosto de 1989) é uma atriz, cantora e modeloestadunidense.[4] Entre 2006 e 2010 atuou na série Heroes, onde interpreta a líder de torcida Claire Bennet, que tem o poder de se curar e de se regenerar rapidamente. No cinema, Hayden iniciou no filme Remember the Titans (br: Duelo de Titãs), em 2000.


1992Felipe Nasr ▒ Luíz Felipe de Oliveira Nasr, mais conhecido como Felipe Nasr (Brasília, 21 de agosto de 1992) é um automobilista brasileiro. Em fevereiro de 2014 foi contratado como piloto de testes da equipe Williams. Sua estreia em treinos oficiais foi no GP do Bahrein.[14][15] Em novembro do mesmo ano, foi anunciado como piloto titular da equipe Sauber para a temporada de 2015 e depois, recontratado para a temporada de 2016 também.

3 ▒ CAPA do DIA

Usain Bolt

31 Anos

Usain St. Leo Bolt, OJ, OD (Trelawny, 21 de agosto de 1986) é um velocista jamaicano, multicampeão olímpico e mundial.

É o único atleta na história do atletismo a tornar-se tricampeão em duas modalidades de pista em Jogos Olímpicos de forma consecutiva (100 metros rasos e 200 metros rasos) e bicampeão também de forma consecutiva na modalidade revezamento 4 x 100 metros.[nota 1]

É também o único atleta a conquistar oito medalhas de ouro em provas de velocidade, sendo dez vezes campeão mundial.

É considerado o homem mais rápido do mundo, e suas conquistas no atletismo o fizeram ser chamado de Lightning Bolt (relâmpago, raio) pela imprensa internacional.

Entre os muitos prêmios que já recebeu, tem como mais expressivos os de Atleta do Ano da IAAF e o Laureus World Sportsman of the Year, que recebeu por quatro vezes.

21 de Agosto — Usain Bolt – 1986 – 31 Anos em 2017 – Acontecimentos do Dia – Com a família após a prova.

Entre as honrarias que recebeu fora do atletismo estão a (OJ) Ordem da Jamaica e a (OD) Ordem de Distinção, outorgadas pelo governo do seu país.

O mais bem pago atleta da história do atletismo recebendo de acordo com a Forbes 20,3 milhões de dólares por ano,[2] ele é considerado por Jacques Rogge, ex-presidente do Comitê Olímpico Internacional, por especialistas e por ex-atletas, como uma lenda viva e o maior velocista de todos os tempos.[3][4][5]

Carreira

Início

Nascido numa pequena cidade da Jamaica, seus pais Wellesley e Jennifer Bolt tinham um pequeno mercado na área rural onde ele passava o tempo na rua jogando críquete e futebol com seu irmão Sadiki – ele também tem uma irmã, Shirine.

Ainda criança, cursou a escola primária Waldensia, onde começou a demonstrar seu potencial para a velocidade e aos 12 anos era o mais rápido aluno nos 100 metros rasos.

21 de Agosto — CAPA • Usain Bolt – 1986 – 31 Anos em 2017 – Acontecimentos do Dia – Com a bandeira do Brasil, nas Olimpíadas Rio 2016.

Depois de entrar na escola secundária, passou a praticar outros esportes mas seu técnico de críquete notou a velocidade do garoto no campo de jogo e insistiu que ele se dedicasse ao atletismo.

A escola já tinha um histórico de sucesso com estudantes anteriores e Bolt passou a ser treinado por um ex-velocista olímpico jamaicano, Pablo McNeil.

Ele ganhou sua primeira medalha no campeonato interescolar em 2001, aos 15 anos, uma prata nos 200 metros rasos, com um tempo de 22s04.[6]

McNeil se tornou seu primeiro técnico efetivo e a dupla fez uma boa parceria, apesar das reclamações do técnico com a falta de dedicação de Bolt aos treinamentos e sua propensão para brincadeiras quando elas eram indevidas.[7]

Neste mesmo ano de 2001 ele disputou sua primeira competição internacional pela Jamaica, ganhando duas medalhas de prata nos 200 m e nos 400 m da categoria sub-17 dos CARIFTA Games, uma competição regional no Caribe, realizados em Bridgetown, Barbados.

Nestes Jogos, com 16 anos, marcou 21 s 81 para os 200 m, a que seria sua prova favorita;[8] ele ainda não levava o atletismo nem a si próprio muito a sério e levou essa incorreção a novas alturas quando se escondeu na traseira de uma van quando deveria estar se preparando para as finais dos 200 m; Bolt foi detido pela polícia pela brincadeira e a comunidade local culpou McNeil pelo incidente.

Sua primeira aparição no cenário global foi disputando o Campeonato Mundial Juvenil de Atletismo de 2001, na Hungria, onde não se classificou para a final dos 200 metros mas mesmo assim abaixou sua melhor marca pessoal para 21s73.

Em 2002, continuou quebrando recordes pessoais vencendo os 100 e os 200 m do Campeonato Júnior de Atletismo do Caribe e América Central em 2002.[9]

Foi neste ano que ele começou a ganhar proeminência, ao vencer os 200 m no Campeonato Mundial Juvenil de Atletismo realizado em Kingston, na Jamaica.

Com 15 anos e 1.96 m, muito mais alto que seus adversários, venceu em 20s61, o mais jovem medalha de ouro num campeonato júnior de atletismo.[10]

A expectativa da multidão no estádio com seu jovem atleta o deixou tão nervoso que ele colocou as sapatilhas de corrida nos pés trocados; esta experiência, porém, foi reveladora para Bolt que jurou que nunca mais se deixaria afetar por tensões pré-corrida.[11]

A equipe de revezamento Jamaicano, posa para uma selfie depois de vencer a final dos homens, 4×100 metros atletismo. Credito: Franck Rife/AFP PHOTO

2003-2008 boom

No ano seguinte, Bolt continuou a ganhar medalhas no CARIFTA, sendo considerado o atleta do torneio depois de ganhar quatro medalhas de ouro e ganhou outra nos 200 m do Campeonato Mundial Juvenil de Atletismo de 2003, marcando 20s40.[12]

Seu foco passou a ser apenas esta prova e no mesmo ano igualou o recorde mundial júnior para a distância, marcando 20s13 no Campeonato Pan-americano Júnior de 2003, em Barbados.

Esta performance atraiu a atenção da imprensa especializada e suas marcas ,tanto nos 200 quanto nos 400 m, o fizeram ser apontado como um possível sucessor de Michael Johnson; aos 16 anos, seus tempos nestas provas eram superiores aos de Johnson antes dos 20 anos e a marca dos 200 m era melhor que a do velocista americano Maurice Greene, campeão olímpico dos 100 m em Sydney 2000, naquele ano.[13]

Neymar homenageia Usain Bolt em jogo da Copa do Mundo no Brasil, em que Bolt esteve presente.

Sua popularidade começou a aumentar em seu país, a ponto do Defensor Público da Jamaica, Howard Hamilton, pressionar a Federação Jamaicana para nutri-lo e evitar o desgaste prematuro, chamando-o de “o mais fenomenal velocista que esta ilha já produziu”. [13]

A popularidade crescente e as atrações da cidade grande – ele havia se mudado da pequena Trelawny para a capital, Kingston – começaram a fazer efeito sobre o corredor ainda adolescente.

Cada vez mais ele perdia a concentração no atletismo e preferia comer fast- food, jogar basquetebol e ir a festas na cidade.

Na ausência de um estilo de vida disciplinado, ele se tornou cada vez mais dependente de sua habilidade natural ao invés dos treinamentos para bater seus concorrentes na pista.[14]

Mesmo sendo ainda um atleta júnior, foi escalado para disputar o Campeonato Mundial de Atletismo de 2003, em Paris, mas uma conjuntivite no período anterior ao campeonato arruinou seus treinos e a Federação jamaicana o proibiu de participar.[6]

Em 2004, aos 17 anos, Bolt virou profissional e se tornou o primeiro velocista júnior a quebrar os 20s para os 200 m rasos, fazendo 19s93 nas Bermudas.

Sua primeira participação olímpica, Atenas 2004, foi, entretanto, arruinada por uma contusão no tendão que o impediu de avançar além das eliminatórias. Universidades americanas lhe ofereceram diversas bolsas de estudo, mas Bolt recusou todas preferindo ficar em sua terra natal.

Em 2005, trabalhando com novo técnico, Glen Mills, que lhe fez ter uma atitude mais comprometida e profissional com a carreira, fez sua melhor marca da temporada nos 200m em Crystal Palace, Londres, 19s99.[15]

Em 2005, Bolt começou a enfrentar lesões mais constantemente, tendo apenas 18 anos, e que o impediu de realizar o treinamento planejado em sua totalidade.

No Campeonato Mundial de Atletismo de Helsinque naquele ano, foi o último na final dos 200 m, sentindo uma contusão durante a prova; mesmo assim, era então o mais novo atleta a correr uma final num Mundial.[16]

Passou os anos de 2005 e 2006 melhorando suas marcas e lutando com contusões.

Uma destas, na panturrilha, o deixou fora dos Jogos da Commonwealth de 2006.

Premiação de atleta do ano em 2016.

Depois de sua recuperação, sempre focado nos 200 m e recusando os pedidos de seu técnico de que passasse também a tentar os 400 m, começou novamente a vencer, batendo o recorde anterior de Justin Gatlin do meeting de Ostrava, na República Tcheca, e marcando 19s88, recorde pessoal, em Lausanne, na Suíça, numa prova em que chegou em terceiro atrás de Xavier Carter e Tyson Gay.[17]

Nesta época, Bolt insistia com seu técnico para correr também os 100 m rasos, com o que Mills não concordava, o achando mais adequado para os sprinters mais longos, 200 e 400 m, mas diante da insistência prometeu que o deixaria disputar os 100 m em provas de nível internacional se ele quebrasse o recorde nacional da Jamaica nos 200 metros – 19s86 – que pertencia a Donald Quarrie desde 1971.

Quarrie era o ídolo de Bolt e o campeão olímpico dos 200 m em Montreal 1976.

No campeonato nacional jamaicano de atletismo de 2007, Bolt venceu os 200 m em 19s75, quebrando o recorde de 36 anos de Quarrie em 0.11s.[6]

21 de Agosto — CAPA • Usain Bolt – 1986 – 31 Anos em 2017 – Acontecimentos do Dia – Com a família após vitória.

Mills cumpriu a promessa e o inscreveu nos 100 m de um meeting em Creta.

Bolt venceu em 10s03, derrotando os americanos Leroy Dickson e Wallace Spearmon, e aumentou o entusiasmo pela distância.[18]

No Campeonato Mundial de Atletismo de 2007, em Osaka, Japão, Bolt não disputou os 100 m; competiu nos 200 m e ficou com a medalha de prata, perdendo para Tyson Gay, em seu auge, que também venceu os 100 m; o então maior nome da Jamaica nos 100 m e recordista mundial, Asafa Powell, ficou apenas com o bronze nos 100 m.[19]

Bolt não ganhou nenhum grande torneio em 2007 mas seu técnico Mills achou que sua técnica de corrida teve um grande desenvolvimento, com um melhor equilíbrio nas curvas dos 200 m e um aumento na frequência das suas passadas, resultando num maior poder de condução do corpo na pista.

Primeiro recorde mundial

A medalha de prata em Osaka despertou em Bolt um maior desejo pela corrida e ele continuou fixado na ideia de correr os 100 m, treinando cada vez mais na distância; em maio de 2008, seu técnico o inscreveu nos 100 m do Kingstown Invitational, na capital jamaicana, e correndo apenas pela segunda vez a distância num torneio profissional ele marcou 9s76, a segunda melhor marca do mundo, atrás apenas do recorde mundial de Powell. 

Pequim 2008

Bolt anunciou que disputaria aos 100 e os 200 m em Pequim e se tornou o favorito da imprensa especializada para vencer ambos. Michael Johnson, o recordista mundial dos 200 e dos 400 mapoiou a decisão, dizendo não acreditar que a falta de experiência do jamaicano o prejudicasse.[23]

Bolt se qualificou para a final dos 100 m fazendo 9.85 na semifinal e venceu a prova com novo recorde mundial, 9.69, primeiro homem abaixo de 9.7, segurando na chegada e batendo no peito, com o cordão da sapatilha desamarrado, muito à frente dos adversários.[24]

Seu técnico depois afirmou que, baseado na velocidade de Bolt nos primeiros 60 m, ele poderia ter feito 9.52 para a distância.[25]

Comentários surgiram logo depois de que o gesto de Bolt ao cruzar a chegada, como um desafio, tinham lhe custado um tempo ainda melhor e soaram como desrespeitoso aos demais atletas. Jacques Rogge, o presidente do COI, também achou o gesto desrespeitoso e fora do espírito olímpico.[26] O jamaicano negou as acusações e disse “eu não estava me vangloriando. Quando vi que ninguém me alcançou, eu estava apenas feliz”.[27] O presidente da IAAF, Lamine Diack, apoiou Bolt e disse que a celebração era apropriada dada as circunstâncias da vitória. O ministro jamaicano Edmund Bartlett também defendeu seu compatriota:”temos que analisar isto na glória daquele momento dele e dar- lhe isto; ele é um jovem e devemos permitir que ele expresse a sua personalidade jovem”.[28]

Depois da vitória nos 100 m, Bolt se concentrou em conquistar a medalha de ouro nos 200 m, para igualar a vitória dupla nos sprints de Carl Lewis em Los Angeles 1984.[29] Antes da prova Michael Johnson previu que ele ganharia facilmente mas que seu próprio recorde mundial de Atlanta 1996, 19.32, não seria batido por Bolt já ter corrido os 100 metros.[30] Bolt se classificou com facilidade para a final, trotando no fim de suas provas nas eliminatórias e na semifinal. Don Quarrie, o ídolo de Bolt e ex-campeão olímpico da Jamaica, disse estar confiante em que ele quebraria o recorde dos 200 m.

No dia seguinte ele venceu a prova com nova marca mundial de 19.30, com um vento contra de 0.9m/s; [31] a vitória o transformou no primeiro velocista a ter o recorde mundial dos 100 e 200 m simultaneamente desde Quarrie, o primeiro a fazer isto na era da cronometragem eletrônica e o primeiro a fazer isto numa mesma Olimpíada.[32]

Depois da corrida, o sistema de som do Estádio Olímpico de Londres começou a tocar “Parabéns pra você“, em homenagem a Bolt que a partir da meia- noite fazia 22 anos.[33]

No último dia do atletismo ele correu a terceira “perna” do revezamento 4×100 m junto com Asafa Powell, Nesta Carter e Michael Frater, e ganhou a terceira medalha de ouro com mais um recorde mundial – 37.10 – que pertencia aos norte- americanos desde Barcelona 1992.[nota 2]Depois das vitórias, ele doou US$50.000 dólares para as crianças de província de Sichuan, que haviam sofrido os efeitos do terremoto de Sichuan, ocorrido em maio de 2008.[34]

A sensacional participação de Usain Bolt em Pequim levantou diversas questões sobre o limite de seu potencial e jornalistas saudaram seus feitos como o começo de uma nova era no atletismo, que sofria há anos com escândalos de dopagem.

“Eu estava diminuindo a velocidade bem antes da linha de chegada e não estava realmente cansado. Eu poderia voltar ao começo e correr tudo de novo”.

– Bolt sobre os 100m rasos em Berlim.

Devolução das medalhas de ouro na prova de revezamento em Pequim 2008

Quase nove anos depois da prova, em janeiro de 2017, o COI fez uma reanálise das amostras de sangue de um dos atletas da equipe – Nesta Carter – e constatou a existência da substância proibida metilhexaneamina. Isso causou uma reviravolta nos resultados, obrigando a equipe a devolver as medalhas de ouro conquistadas. Bolt devolveu a sua medalha dois dias depois do anúncio da desclassificação. Com a eliminação, o ouro passou a pertencer à equipe de Trinidad e Tobago. A equipe do Japão ficou com a medalha de prata e o Brasil com a medalha de bronze.[37][38]

Ciclo olímpico 2008-2012

Berlim 2009 e novos recordes mundiais

Depois de competir na Golden League nos meses seguintes aos Jogos Olímpicos, derrotando Asafa Powell nos 100 m e fazendo sua segunda melhor marca nos 200 m – 19.63 – em Lausanne, Suiça,

Bolt iniciou o ano de 2009 competindo nos 400 m na Jamaica para aprimorar sua velocidade e venceu duas corridas marcando 45.54 numa competição em Kingston.

Em abril ele sofreu pequenas contusões num acidente de automóvel mas recuperou-se rapidamente após sofrer uma pequena cirurgia.

Em maio competiu numa prova especial de 150 metros em Manchester, na Inglaterra, e venceu em 14.35, o tempo mais rápido já cronometrado para esta distância.

Mesmo sem estar com 100% da forma recuperada, ainda foi campeão nacional da Jamaica nos 100 e 200 m, com 9.86 e 20.25 respectivamente; com isso se classificou para disputar o Campeonato Mundial de Atletismo em Berlim, em agosto.

Nas semanas anteriores ao Mundial, seu rival americano Tyson Gay, que vinha fazendo grandes tempos na temporada, declarou que o recorde de Bolt estava ao seu alcance, mas o jamaicano não rebateu preferindo se preocupar apenas com a recuperação do compatriota Asafa Powell, que estava lesionado.

Em julho, no tradicional meeting Athletissima na Suiça, ele correu os 200 m em 19.59, o quarto melhor tempo do mundo para a distância e a um centésimo do melhor tempo de Tyson naquele ano.

A final dos 100 m rasos em Berlim foi o primeiro encontro entre Bolt e Gay em 2009 e Bolt venceu a corrida quebrando seu recorde de Pequim com a marca de 9.58; Tyson, em segundo, teve o consolo de estabelecer novo recorde norte-americano para a distância, 9.71.

O americano não participou dos 200 m mas pode assistir ao jamaicano quebrar novamente seu recorde, fazendo 19.19 para a distância, 0.11 mais rápido que o recorde anterior e repetindo o feito de dois recordes mundiais num mesmo evento.

Sua vitória nos 200 m foi a de maior margem para o segundo colocado, mesmo com outros três adversários correndo em menos de 19.90, algo inédito nesta prova.

Mesmo seus adversários diretos ficaram impressionados com Bolt que recebeu cumprimentos na pista de um dos derrotados, Wallace Spearmon, e de atletas de gerações anteriores como Mike Powell, o recordista mundial do salto em distância – 8,95 m em 1991, que declarou ser Bolt o principal candidato a ser o primeiro homem a saltar acima dos nove metros se treinasse a modalidade, dizendo ser o salto em distância um esporte perfeito para o jamaicano pela altura, porte físico e velocidade.

No último dia do Mundial, Bolt e seus companheiros venceram o revezamento 4×100 m com ele acumulando sua terceira medalha mundial de ouro; mesmo não batendo o recorde mundial de Pequim no ano anterior, a marca de 37.31 foi a segunda melhor do mundo e o recorde do campeonato.

Neste último dia em Berlim, numa pequena cerimônia, também recebeu do prefeito da cidade, Klaus Wowereit, um pedaço do Muro de Berlim pintado com sua efígie, dizendo que ele tinha mostrado que “as pessoas podem derrubar muros que antes eram considerados intransponíveis”; a peça, de quase três metros de comprimento e duas toneladas, foi enviada para a Jamaica para ser instalada no centro de treinamento de Bolt em Kingston.[39]

“Sempre há limites. Eu não conheço os meus”.

—Bolt após vencer e quebrar seus próprios recordes mundiais em Berlim 2009.[40]

Daegu 2011

Em 2010, depois de duas vitórias no circuito internacional de atletismo, Bolt fez uma tentativa de quebrar a melhor marca mundial de Michael Johnson na pouca disputada distância dos 300 metros, em Ostrava; a tentativa não deu certo, pois além de não quebrar a marca do americano – 30.85, Bolt fez 30.97 debaixo de chuva – ainda desenvolveu uma lesão no tendão de Aquiles.

Recuperado um mês depois, derrotou Asafa Powell no Meeting Areva em Paris e foi derrotado por Tyson Gay nos 100 m da etapa da Diamond League em Estocolmo, a segunda derrota em toda sua carreira, no mesmo estádio onde havia perdido para Powell dois anos antes.[41]

Bolt participou do Campeonato Mundial de Atletismo de 2011, em Daegu, na Coreia do Sul, onde deu ao público presente um dos mais frustantes momentos do atletismo, quando queimou a largada da muito esperada final dos 100 m rasos;[42] sem ele, a prova foi vencida por Yohan Blake. Venceu os 200 m em 19.40 e conquistou uma segunda medalha de ouro e quinta em mundiais, integrando o 4×100 m que quebrou o próprio recorde mundial em 37.04.[43] [44]

Londres 2012

Antes dos Jogos Olímpicos de Londres, Bolt ficou apenas em segundo lugar nas seletivas jamaicanas, perdendo os 100 e os 200 m para a nova sensação dos sprinters jamaicanos, Yohan Blake, de 21 anos, que também havia feito o melhor tempo do mundo para os 200 m depois de Bolt, 19.26, em 2011 em Bruxelas.[45]

Chegou a Londres com sua capacidade de repetir as vitórias de Pequim quatro anos antes posta em duvida pelos analistas.

Na final dos 100 m, porém, venceu novamente em 9.63, um tempo melhor que o de Pequim, deixando Blake com a medalha de prata; e repetiu a vitória nos 200 m, com a marca de 19.32, com Blake novamente em segundo e um pódio totalmente jamaicano com Warren Weir em terceiro.

Depois da prova dos 100 m, o velocista trinitino Richard Thompson, sétimo colocado na corrida, declarou que “não havia dúvida de que Bolt era o maior velocista de todos os tempos”.

O jornal USA Today o comparou a “o herói nacional da Jamaica”, observando que sua vitória veio horas antes do início das celebrações do 50 anos da independência da Jamaica do Reino Unido. Com esta vitória, ele se tornou o primeiro atleta bicampeão olímpico dos 100 m rasos desde Carl Lewis em Seul 1988.[46]

Perguntado após suas vitórias sobre sua grandeza como velocista, Bolt colocou-se numa categoria de exceção, ao lado de Muhammad Ali e Michael Jordan em seus respectivos esportes.[47] Jacques Rogge, presidente do COI, disse que ainda era cedo para considerar Bolt uma lenda, seria necessário esperar pelo fim de sua carreira, mas concordou mais tarde com o adjetivo e com ser ele o maior velocista de todos os tempos.[48]

No último dia do atletismo, Bolt integrou o revezamento 4×100 m jamaicano, com Yohan Blake, Michael Frater e Nesta Carter, conquistando sua terceira medalha de ouro nos Jogos, repetindo Pequim, que quebrou o próprio recorde mundial em 36.84, o primeiro revezamento dos 100 m abaixo dos 37 segundos.

Depois da prova, comemorou fazendo o “Mobot”, a comemoração típica do campeão olímpico britânico dos 5000 e 10000 m Mo Farah, em contraponto a seu “raio”.[49]

“Eu hoje sou uma lenda. E também sou o maior atleta vivo.”

—Bolt após suas vitórias em Londres 2012.[50]

Ciclo olímpico 2012-2016

Depois de uma derrota para Justin Gatlin no Golden Gala de Roma em junho de 2013, Bolt competiu no 2013 London Anniversary Games, evento em Londres em comemoração a um ano dos Jogos e venceu os 100 m em 9.85; no Campeonato Mundial de Atletismo de 2013, em Moscou, recuperou o título de homem mais rápido do mundo derrotando Gatlin nos 100 m em 9.77;[51] no mesmo Mundial ganhou também os 200 m em 19.66 [52] e o 4×100 m com a equipe jamaicana, o que fez dele o mais bem sucedido atleta nos 30 anos do Campeonato Mundial.[53]No fim do ano, foi escolhido Atleta Masculino do Ano da IAAF pela sexta vez.

Em março de 2014 ele sofreu uma contusão muscular que o impediu de treinar por nove semanas, após sofrer uma pequena cirurgia; parcialmente recuperado, competiu nos Jogos da Comunidade Britânica em Glasgow, Escócia, apenas no 4×100 m, em “”consideração aos fãs, e que eles esperassem dele grandes feitos nos anos seguintes”. [54] A equipe jamaicana venceu a prova com novo recorde da KCommonwealth em 37.58.[55] Em agosto, ele quebrou extra-oficialmente o recorde mundial dos 100 m indoor, marcando 9.98 em Varsóvia na Polônia,[56] e encerrou sua temporada para se preparar melhor fisicamente para o ano seguinte. Num ano marcado por lesões que impediram resultados consistentes, sua única outra competição foi no Rio de Janeiro, disputando o Mano a Mano na Praia de Copacabana, que mais uma vez venceu em 10.06.[57]

Em 2015 voltou para seu sexto Campeonato Mundial de Atletismo, em Pequim, China, no mesmo Ninho do Pássaro onde tinha aparecido para o mundo sete anos antes; repetindo os feitos de Berlim 2009 e Moscou 2013, ganhou três medalhas de ouro nos 100 m e 200 m (novamente derrotando o norte- americano Justin Gatlin, que era o favorito pelos tempos conseguidos ao longo do ano) e 4×100 m – em Daegu 2011 deixou de ganhar apenas nos 100 m por ter queimado a largada na final – somando um total geral de 11 medalhas de ouro, o maior campeão mundial de atletismo da história.[58]

Poucos dias depois do campeonato, deu por encerrada sua temporada de 2015 ainda em setembro, desistindo de disputar a prova dos 200 m na etapa belga da Diamond League, preferindo descansar e começar a se preparar para defender seus títulos olímpicos na Rio 2016.[59]

Rio 2016

Após sofrer lesão muscular nas classificatórias jamaicanas, muitas dúvidas foram levantadas à respeito de sua condição física.[60] Incluído na equipe por decisão do Comitê Olímpico da Jamaica, [61] Bolt começou um tratamento imediatamente para poder participar das Olimpíadas Rio 2016.[62]

21 de Agosto — CAPA • Usain Bolt – 1986 – 31 Anos em 2017 – Acontecimentos do Dia – Neymar e Usain Bolt.

Chegando ao Rio de Janeiro como o maior vendedor de ingressos para o atletismo em seus dias de competição,[63] disputou os 100 m rasos, os 200 m rasos e o revezamento 4×100 m com a equipe jamaicana e venceu em todas as três modalidades como nos dois Jogos anteriores, levando ouro nos 100 m – 9.81 – ouro nos 200 m – 19.78 – e ouro no 4×100 m – 37.27 – sem conseguir quebrar novamente nenhum de seus recordes mas fazendo história ao se tornar o primeiro tricampeão olímpico consecutivo nas três modalidades.[64]

21 de Agosto — CAPA • Usain Bolt – 1986 – 31 Anos em 2017 – Acontecimentos do Dia – Com Escola de Samba no Rio de Janeiro.

Mundial de Atletismo de 2017

No Campeonato Mundial de Atletismo de 2017, Bolt conquistou uma medalha de bronze nos 100 metros, com a marca de 9s95.

Em dez anos, foi a primeira vez que Bolt não foi o vencedor nesta modalidade em olimpíadas e campeonatos mundiais.[65]

Vida pessoal

Católico, solteiro e sem filhos, após suas vitórias na Rio 2016 Bolt propôs casamento – aceito – à sua namorada de três anos, a modelo jamaicana Kasi Bennett, a quem conheceu num baile de gala em 2013, durante viagem de férias do casal à ilha de Bora Bora, no Tahiti.[66]

21 de Agosto — CAPA • Usain Bolt – 1986 – 31 Anos em 2017 – Acontecimentos do Dia – Com a noiva Kasi Bennett.

Patrocinado pela Puma desde 2002, que confecciona sapatilhas de corrida especiais e únicas para ele, escreveu um livro autobiográfico em 2010, My Story: 9.58: Being the World’s Fastest Man, publicado pela editora britânica HarperCollins. [67]

Medalhas Olímpicas e Mundiais

Medalhas
Jogos Olímpicos
Ouro Rio 2016 100 m
Ouro Rio 2016 200 m
Ouro Rio 2016 4×100 m
Ouro Londres 2012 100 m
Ouro Londres 2012 200 m
Ouro Londres 2012 4×100 m
Ouro Pequim 2008 100 m
Ouro Pequim 2008 200 m
DSQ Pequim 2008 4×100 m
Campeonatos Mundiais
Bronze Londres 2017 100 m
Ouro Pequim 2015 100 m
Ouro Pequim 2015 200 m
Ouro Pequim 2015 4×100 m
Ouro Moscou 2013 100 m
Ouro Moscou 2013 200 m
Ouro Moscou 2013 4×100 m
Ouro Daegu 2011 200 m
Ouro Daegu 2011 4×100 m
Ouro Berlim 2009 100 m
Ouro Berlim 2009 200 m
Ouro Berlim 2009 4×100 m
Prata Osaka 2007 200 m
Prata Osaka 2007 4×100 m

Prêmios

21 de Agosto — CAPA • Usain Bolt – 1986 – 31 Anos em 2017 – Acontecimentos do Dia – Foto com fans.

Honrarias

  • Em outubro de 2008, recebeu do governo jamaicano a condecoração Ordem de Distinção, no grau de Comandante, o que lhe outorga o direito de usar as iniciais OD em seguida a seu nome.[72]
  • Em 2009, aos 23 anos de idade, Bolt foi o mais jovem cidadão jamaicano a ser condecorado com a Ordem da Jamaica, uma das maiores distinções de seu país. A medalha lhe foi conferida por “excelentes serviços no campo do atletismo a nível internacional”. No sistema de honrarias da Jamaica, a comenda equivale ao grau de Cavaleiro no sistema honorífico britânico e lhe confere o direito de usar o título “O Honorável” à frente de seu nome e as iniciais OJ em seguida de seu nome.[72]

CITAÇÃO

Usain Bolt – Na hora da velocidade

“Existem alguns que largam melhor do que eu, mas eu sou um forte finalizador.”

Usain Bolt / Fonte: Brainy Quote

Usain Bolt

Usain St. Leo Bolt

(Trelawny, 21 de agosto de 1986)

31 Anos

usainbolt.com

4 ▒ ACONTECIMENTOS


1770 — O capitão James Cook, no fim da sua viagem de descoberta da Austrália, reclama o continente em nome do Império Britânico.



1898 — Fundação do Club de Regatas Vasco da Gama.



1954 — Inauguração do Parque do Ibirapuera.



1991 — O parlamento da Letônia proclama sua independência da URSS.


5 ▒ FALECIMENTOS

1853Maria Quitéria ▒ Maria Quitéria de Jesus Medeiros (Feira de Santana, 27 de julho de 1792Salvador, 21 de agosto de 1853) foi uma militar brasileira, heroína da Guerra da Independência. Foi a primeira mulher a assentar praça numa unidade militar das Forças Armadas Brasileiras e a primeira mulher a entrar em combate pelo Brasil, em 1823.[1] [2]


1925Irineu Marinho ▒ Irineu Marinho Coelho de Barros (Niterói, 19 de julho de 1876Rio de Janeiro, 21 de agosto de 1925) foi um jornalista brasileiro. Em 1925 funda seu próprio veículo de comunicação, o jornal O Globo e o primeiro número circula em 29 de julho daquele ano. Trabalhava no prestigiado jornal A Notícia e tinha como colegas Arthur Azevedo e Olavo Bilac.

1940Leon Trotsky ▒ Leon Trótski [nota 1] (nascido Liev Davidovich Bronstein;[2] Ianovka, 7 de novembro de 1879Coyoacán, 21 de agosto de 1940) foi um intelectual marxista e revolucionário bolchevique, organizador do Exército Vermelho e, após a morte de Lenin, rival de Stalin na disputa pela hegemonia do Partido Comunista da União Soviética (PCUS). As suas ideias políticas, expostas numa obra escrita de grande extensão, deram origem ao trotskismo, corrente ainda hoje importante no marxismo.


1989Raul Seixas ▒ Raul Santos Seixas (Salvador, 28 de junho de 1945 [5]São Paulo, 21 de agosto de 1989) foi um cantor e compositor brasileiro, frequentemente considerado um dos pioneiros do rock brasileiroCético e agnóstico,[7][8] [9] Raul se interessava por filosofia (principalmente metafísica e ontologia), psicologia, história, literatura e latim, conhecimentos que podemos encontrar em sua obra musical.


6 ▒ FERIADOS e EVENTOS CÍCLICOS

  • Dia do Club de Regatas Vasco da Gama. O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral Filho sancionou em 2007 o projeto de lei nº 5.052, que criou esta data comemorativa para homenagear a fundação do clube.
  • Dia da Habitação (Lei n°4.380)

7 ▒ TRAGÉDIAS da HUMANIDADE

8 ▒ CIDADES ANIVERSARIANTES

Dados do IBGE

21

Chapadão do Céu (GO)

21

Nilópolis (RJ)

21

Porciúncula (RJ)

21

São João de Meriti (RJ)

21

Wagner (BA)

Nilópolis – RJ

70 Anos

21 de agosto de 1947

nilopolis.rj.gov.br

Nilópolis é um município da Região Metropolitana do Rio de Janeiro, no Estado do Rio de Janeiro, no Brasil.

Possui uma população de 181.575 habitantes (Censo IBGE/2010).

É um dos 13 municípios da Baixada Fluminense e um dos menores Municípios do Brasil, com apenas 19 km de extensão, sendo apenas 9 km em perímetro urbano.

Se emancipou de Nova Iguaçu, no ano de 1947, sendo antigo distrito iguaçuano.

Atualmente possui o melhor IDH da Baixada Fluminense ocupando o 9º lugar do Estado do Rio de Janeiro.

História

Em 1637, João Álvares Pereira manda construir a Capela de São Mateus, no alto da colina de Nilópolis, de barro batido (adobe) pelos índios aqui existentes, já escravizados.

21 de Agosto — Praça do Chafariz no centro da cidade — Nilópolis (RJ) — 70 Anos em 2017.

E seu desenvolvimento foi num crescendo extraordinário, graças ao empenho de sua população laboriosa até que estando em discussão a nova carta constitucional do estado do Rio de Janeiro, o Deputado Lucas de Andrade Figueira propôs uma emenda, promulgada a 20 de junho de 1947, transformando-se na Lei estadual nº 67, emancipando Nilópolis juntamente com São João de Meriti, e que se comemora a 21 de agosto de cada ano.

Nilópolis tem seu nome em homenagem a Nilo Peçanha, a partir de 1° de Janeiro de 1921, grande benfeitor de Nilópolis, numa festividade inesquecível.

21 de Agosto — Vista parcial da cidade — Nilópolis (RJ) — 70 Anos em 2017.

No plano esportivo, a maior expressão futebolística do município é o Esporte Clube Nova Cidade, segunda agremiação esportiva da Baixada Fluminense a integrar a Primeira Divisão do estado do Rio de Janeiro, entre 1989 e 1990, após sagrar- se campeã estadual da Segunda Divisão, em 1988, e vice da Terceirona em 1986.

O time manda os seus jogos no estádio Joaquim de Almeida Flores, que lhe pertence. Atualmente o Nova Cidade disputa a Terceira Divisão Estadual. O outro representante da cidade na mesma divisão é o Nilópolis Futebol Clube.

21 de Agosto — Parque Municipal de Nova Iguaçu, conhecido como a ‘Mata’ — Nilópolis (RJ) — 70 Anos em 2017.

Turismo

O Parque Municipal de Nova Iguaçu por onde tem partes nos municípios de Nilópolis e Mesquita (antigos distritos iguaçuanos). Na parte de Nilópolis, é chamado de “Gericinó” ou “Mata” como é conhecido pelos nilopolitanos.

Tem 10,2 km de extensão, trata-se de uma área de proteção ambiental e área militar, já que o Exército Brasileiro usa essa área em algumas épocas do ano para treinamentos, sendo assim proibido por lei a ocupação de moradia e comércio.

Tem um clima agradável e mais de 9 km de pista de bicicletas e aparelhos de academia.

Essa pista termina numa área rural na encosta do Rio Pavuna já na entrada do bairro carioca de Realengo.

Possui muitas árvores e bosques.

21 de Agosto — Avenida da cidade — Nilópolis (RJ) — 70 Anos em 2017.

Transportes

Nilópolis possui a maior variedade em termos de transporte.

Temos empresas de ônibus próprias do município são: Expresso São Francisco e a Nilopolitana Cavalcanti & Cia.

Temos outras que não são do município mais prestam serviços ao mesmo são:

21 de Agosto — Quadra GRES Beija-Flor — Nilópolis (RJ) — 70 Anos em 2017.

Curiosidades

21 de Agosto — Nilópolis Square Shopping Center — Nilópolis (RJ) — 70 Anos em 2017.

Principais Vias

21 de Agosto — Hospital Municipal Juscelino Kubitschek — Nilópolis (RJ) — 70 Anos em 2017.

Saúde

Na área da saúde pública temos o Hospital Municipal Juscelino Kubitschek localizado no centro da cidade, mas precisamente na “Rua Zezinho” em frente a Avenida Mirandela.

O município possui postos municipais de saúde nos bairros de Nova Cidade, Novo Horizonte, Frigorífico, Nossa Senhora de Fátima, Manoel Reis, Cabral, Cabuís e Olinda.

9 ▒ GALERIA de FOTOS

10 ▒ CRÉDITOS

Datas, fatos e os nascimentos mais importantes no Brasil e no Mundo, em todos os dias do ano, ilustrado com fotos e curiosidades.

SITE ► acontecimentosdodia.com

FONTE PRINCIPAL ► WIKIWAND

OUTRAS FONTES de PESQUISA:

Cidades IBGEFilmowAdoro CinemaBIO (facebook)GShowAniv.DiaAniv.FamososHistoryHistory (facebook)

Paul Sampaio, perfil, 1  Paul Sampaio – Autor

PESQUISA e REALIZAÇÃO

Escrito por Paul Sampaio

PAUL SAMPAIO CHEDIAK ALVES é professor, locutor, apresentador de rádio e TV, web designer e diretor fundador da REDE SAMPAIO de Televisão e Sites.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s