10 de Agosto – Jorge Amado e Fernando de Noronha (PE) – 2017

☺ CAPA • Jorge Amado 105 Anos

▒ CIDADE • Fernando de Noronha (PE) 514 Anos

▒ NASCIMENTOS • Henry Nestlé • Gonçalves Dias • Júlio de Mesquita • Gustavo Capanema • Agepê • Toninho Guerreiro • Ian Anderson • Franklin Martins • Léo Gandelman • Rosanna Arquette • Antonio Banderas • Mark Strong • Eduardo Campos • Fábio Assunção • Maria Júlia Coutinho

▒ FALECIMENTOS • Florestan Fernandes • Irving São Paulo • Isaac Hayes • Felisberto Duarte

1 ▒ POSTER e VÍDEOS

GALERIA de VÍDEOS
Principais Vídeos da WEB publicados no Acontecimentos do Dia e outras WEB TVs da Rede Sampaio

2 ▒ NASCIMENTOS

1960Antonio Banderas ▒ José Antonio Domínguez Bandera (Málaga, 10 de agosto de 1960) é um ator, produtor, cantor e diretor espanhol de cinema. Só depois de atuar em vários filmes europeus é que o ator estreou em filmes comerciais dos Estados Unidos, como A Máscara do Zorro e outros filmes de ação, se tornando o ator espanhol mais famoso do cinema mundial.

Estreou na direção com Loucos do Alabama, em 1999. Tem uma marca de perfumes e fragrâncias com o seu nome, gerenciada pela companhia de moda e perfumes Puig.[1].


1814Henry Nestlé ▒ Henri Nestlé (Frankfurt, 10 de agosto de 1814Glion, 7 de julho de 1890) foi o fundador da Nestlé Alimentos S.A. com sede em Vevey na Suíça. A Nestlé é uma das maiores empresas que fabricam alimentos, bebidas e chocolates do mundo na atualidade.


1823Gonçalves Dias ▒ Antônio Gonçalves Dias (Caxias, 10 de agosto de 1823Guimarães, 3 de novembro de 1864) foi um poeta, advogado, jornalista, etnógrafo e teatrólogo brasileiro.[4] Um grande expoente do romantismo brasileiro e da tradição literária conhecida como “indianismo“, é famoso por ter escrito o poema “Canção do Exílio” — um dos poemas mais conhecidos da literatura brasileira.


1862Júlio de Mesquita ▒ Júlio César Ferreira de Mesquita (Campinas, 10 de agosto de 1862São Paulo, 15 de março de 1927) foi um advogado, politico e jornalista brasileiro, proprietário do jornal O Estado de S. Paulo.[1] Lançou o Jornal da Tarde, apelidado “Estadinho”, tiragem vespertina do jornal, dirigida pelo filho, o jovem Júlio de Mesquita Filho.


1900Gustavo Capanema ▒ Gustavo Capanema Filho GOCGCSE (Pitangui, 10 de agosto de 1900Rio de Janeiro, 10 de março de 1985) foi um político brasileiro. Foi o Ministro da Educação que mais tempo ficou no cargo em toda a história do Brasil (1934 a 1945, aproximadamente 11 anos contínuos). No ministério, Capanema foi o principal artífice da construção da Lei brasileira de preservação do patrimônio histórico e cultural, sancionada em 30 de novembro de 1937[3].


1942Agepê ▒ Antônio Gilson Porfírio, mais conhecido como Agepê (Rio de Janeiro, 10 de agosto de 1942Rio de Janeiro, 30 de agosto de 1995) foi um cantor e compositor brasileiro. O nome artístico decorre das iniciais de seu nome: “AGP”. Em 1975, lançou Moro onde não mora ninguém, seu primeiro sucesso. Nove anos depois, lançou Deixa eu te amar, da trilha sonora da telenovela Vereda Tropical.


1942Toninho Guerreiro ▒ Antônio Ferreira, mais conhecido como Toninho Guerreiro (Bauru, 10 de agosto de 1942São Paulo, 26 de janeiro de 1990), foi um jogador brasileiro de futebol. Começou no Noroeste de Bauru. Fez história no Santos e no São Paulo. Depois de Coutinho, foi o parceiro de Pelé que mais fez sucesso no Santos.


1947Ian Anderson ▒ Ian Scott Anderson OBE (Dunfermline, Escócia, 10 de agosto de 1947) é um cantor, compositor, guitarrista e flautista britânico, mais conhecido por ser o líder da banda de rock and roll Jethro Tull.

1948Franklin Martins ▒ Franklin de Sousa Martins (Vitória, 10 de agosto de 1948) é um jornalista político brasileiro. Atuou no Jornal Nacional e no Jornal da Globo até maio de 2006. Foi ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social (Secom) do Brasil durante o mandato presidencial de Luiz Inácio Lula da Silva até dezembro de 2010.


1956Léo Gandelman ▒ Leonardo Gandelman, mais conhecido como Leo Gandelman, (Rio de Janeiro, 10 de agosto de 1956) é um saxofonista, flautista, compositor, arranjador e produtor musical brasileiro. Já participou do trabalho de inúmeros artistas da MPB, além de ser compositor e intérprete de trilhas marcantes para a TV e o cinema.


1959Rosanna Arquette ▒ Rosanna Lisa Arquette (Nova Iorque, 10 de Agosto de 1959), mais conhecida como Rosanna Arquette, é uma atriz, diretora e produtora estadunidense, vencedora do prêmio BAFTA e irmã dos também atores Patricia Arquette, David Arquette, Alexis Arquette e Richmond Arquette. Destaque para os filmes Pulp Fiction – Tempo de violência, em 1994, e Crash – Estranhos prazeres, em 1996.


1963Mark Strong ▒ Mark Strong (Londres, 10 de Agosto de 1963) é um ator britânico.[1] Iniciou os estudos em interpretação na Royal Holloway, e mais tarde foi a Bristol Old Vic Theatre School, onde conclui sua formação.


1965Eduardo Campos ▒ Eduardo Henrique Accioly Campos (Recife, 10 de agosto de 1965Santos, 13 de agosto de 2014)[2] foi um economista e político brasileiro. Foi governador de Pernambuco por dois mandatos, presidente do Partido Socialista Brasileiro (PSB) e candidato à Presidência da República nas eleições presidenciais de 2014.


1971Fábio Assunção ▒ Fábio Assunção Pinto (São Paulo, 10 de agosto de 1971)[1] é um ator brasileiro, muito conhecido por seu trabalho em telenovelas da Rede Globo. Em 1993, viveu seu primeiro vilão, em Sonho Meu, e em 1999 interpretou seu primeiro protagonista em Força de um Desejo. Em 2009, ganhou o prêmio de “Melhor Ator” no Festival de Cinema Brasileiro de Los Angeles, por sua interpretação no filme Bellini e o Demônio.[9][10]


1978Maria Júlia Coutinho ▒ Maria Júlia Coutinho, ou simplesmente Maju Coutinho (São Paulo, 10 de agosto de 1978) é uma jornalista, apresentadora de televisão e comentarista brasileira. Em 2013, Maria Júlia passou a ser a titular do posto de apresentadora de meteorologia do Jornal Hoje e do Jornal Nacional[4].

3 ▒ CAPA do DIA

Jorge Amado

105 Anos

Jorge Leal Amado de Faria OMCGOSEGOIHCBJM (Itabuna, 10 de agosto de 1912Salvador, 6 de agosto de 2001) foi um dos mais famosos e traduzidos escritores brasileiros de todos os tempos. [3][4]

Integrou os quadros da intelectualidade comunista brasileira desde o final da primeira metade do século XX – ideologia presente em várias obras, como a retratação dos moradores do trapiche baiano em Capitães da Areia, de 1937.

Jorge é o autor mais adaptado do cinema, do teatro e da televisão.

Verdadeiros sucessos como Dona Flor e Seus Dois Maridos, Tenda dos Milagres, Tieta do Agreste, Gabriela, Cravo e Canela e Tereza Batista Cansada de Guerra foram criações suas.[5]

A obra literária de Jorge Amado – 49 livros, ao todo – também já foi tema de escolas de samba por todo o País.

Seus livros foram traduzidos em 80 países, em 49 idiomas,[6] bem como em braille e em fitas gravadas para cegos.[3]

Jorge foi superado, em número de vendas, apenas por Paulo Coelho. Mas em seu estilo – o romance ficcional -, não há paralelo no Brasil. Em 1994, a sua obra foi reconhecida com o Prémio Camões.[7]

Biografia

Existem dúvidas sobre o exato local de nascimento de Jorge Amado.

Alguns biógrafos indicam que o seu nascimento deu-se na fazenda Auricídia, à época pertencente ao município de Ilhéus.

Mais tarde as terras da fazenda Auricídia passaram ao atual município de Itajuípe, com a emancipação do distrito ilheense de Pirangi.

Entretanto, é certo que Jorge foi registrado no povoado de Ferradas, filho mais velho do Coronel João Amado de Faria e de Eulália Leal, pertencente a Itabuna.[5][8]

Teve outros três irmãos: Jofre, Joelson e James.[8]

No ano seguinte ao de seu nascimento, uma praga de varíola obrigou a família a deixar a fazenda e se estabelecer em Ilhéus, onde viveu a maior parte da infância, que lhe serviu de inspiração para vários romances.[8]

Jorge Amado com João Gilberto e Astrud Gilberto.

adolescente, aos 14 anos, começou efetivamente a participar da vida literária, em Salvador.

Foi um dos fundadores da “Academia dos Rebeldes”, grupo de jovens que desempenhou um importante papel na renovação da literatura baiana. Os seus trabalhos eram publicados em revistas fundadas por eles mesmos.[8]

Foi para o Rio de Janeiro, então a capital do País, para estudar na Faculdade de Direito da Universidade do Rio de Janeiro, atual Faculdade Nacional de Direito da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).[5]

Durante a década de 1930, a faculdade era um polo de discussões políticas e de arte, tendo ali travado seus primeiros contatos com o movimento comunista organizado.[3]

10 de Agosto – Jorge Amado – 1912 – 105 Anos em 2017 – Acontecimentos do Dia – Em um comício em 1946.

Tornou-se um jornalista, e envolveu-se com a política ideológica comunista, como muitos de sua geração.

Em 1945 foi eleito deputado federal pelo Partido Comunista Brasileiro (PCB), o que lhe rendeu fortes pressões políticas.

Como deputado, foi o autor da emenda que garantiu a liberdade religiosa devido a ter visto o sofrimento dos que seguiam cultos africanos bem como protestantes no Ceará serem saqueados por fanáticos com uma cruz à frente – buscou assinaturas até conseguir a aprovação da sua emenda, e desde então a liberdade religiosa tornou- se lei.[3]

Também foi autor da emenda que garantia direitos autorais.

A sua obra é uma das mais significativas da moderna ficção brasileira, sendo voltada essencialmente às raízes nacionais.

São temas constantes nela os problemas e injustiças sociais, o folclore, a política, as crenças, as tradições e a sensualidade do povo brasileiro, contribuindo assim para a divulgação deste aspecto do mesmo.

Era primo do advogado, escritor, jornalista e diplomata Gilberto Amado[10] e da atriz Véra Clouzot.[11]

Foi casado com a também escritora Zélia Gattai, a qual o sucedeu em 2002 na cadeira 23 da Academia Brasileira de Letras.

Com ela, teve dois filhos: João Jorge (nascido em 25 de novembrode 1947) e Paloma Jorge (nascida em 19 de agosto de 1951). [12]

Teve ainda outra filha, Eulália Dalila Amado (nascida em 1935, que morre precocemente quando tinha apenas 14 anos, em 1949), fruto de um casamento anterior com Matilde Garcia Rosa.[8][12]

Jorge Amado e Zélia Gattai, jovens.

Viveu exilado na Argentina e no Uruguai (1941 a 1942), em Paris (1948 a 1950) e em Praga (1951 a 1952). Como um escritor profissional, viveu quase que exclusivamente dos direitos autorais de seus livros.

Durante o exílio na União Soviética, foi vigiado tanto pela CIA,[13] quanto pelos serviços de segurança soviéticos.

Em 1958 publicou Gabriela, Cravo e Canela, que representou um momento de mudança na produção literária do autor que até então abordava temas sociais.[14]

Nesta segunda fase faz uma crônica de costumes, marcada por tipos populares, poderosos coronéis e mulheres sensuais.[14]Além de Gabriela, Cravo e Canela, os romances Dona Flor e seus dois maridos e Tereza Batista cansada de guerra são representativos desta fase.[14] Apesar do “turning- point” na obra, não deixou de ser publicado na URSS.[15]

Publicada pela primeira vez em 1966, a obra Dona Flor e seus dois maridos é considerada uma crônica de costumes da vida baiana. Regida sob a inspiração do realismo fantástico, a história mostra D. Flor como uma mulher que consegue realizar a fantasia de levar para a cama o marido falecido e o atual ao mesmo tempo. O primeiro, um malandro; o segundo, exatamente o seu contrário – só assim D. Flor sente- se realmente completa e feliz. O livro é pontuado de receitas culinárias, ritos de candomblé e exemplos de uma contradição que tão bem retrata o Brasil: o convívio do sério com o irresponsável, o prazer e o dever, a regra e o “jeitinho”. Sucesso editorial, D. Flor se tornou uma das mais populares personagens da literatura nacional.[16]

Na década de 1990, porém, viveu forte tensão e expectativa de um grande baque nas economias pessoais, com a falência do Banco Econômico, onde tinha suas economias. Não chegou porém a perder suas economias, já que o banco acabou sofrendo uma intervenção do Governo.[4]

10 de Agosto – Jorge Amado – 1912 – 105 Anos em 2017 – Acontecimentos do Dia – Jorge Amado inaugurando o livro de presença da Casa de Cultura que leva seu nome.

Com a saúde debilitada havia alguns anos, veio a falecer em 6 de agosto de 2001 devido a uma parada cardiorrespiratória.[17]

Em junho do mesmo ano, já havia sido internado por causa de uma crise de hiperglicemia.[17]

O corpo de Jorge Amado foi cremado e suas cinzas enterradas em sua casa no bairro do Rio Vermelho, em Salvador. As cinzas de Zélia também estão depositadas no mesmo local, quando faleceu em 2008.[18] Hoje funciona no local a Casa do Rio Vermelho, expondo lembranças da vida do casal de escritores.[19]

Uma das suas obras é o O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá que foi feita para o seu filho João Jorge, quando este completou um ano de idade.

O texto andou perdido e só em 1978 conheceu a sua primeira edição, depois de ter sido recuperado pelo seu filho e levado a Carybé para ilustrar.

Zélia, Sartre, Simine de Beauvoir, Jorge Amado e Mãe Senhora.

Crenças e estilo literário

Mesmo dizendo-se materialista, Amado era um praticante da Umbanda e do Candomblé – religião esta última na qual exercia o posto de honra de Obá de Xangô no Ilê Opó Afonjá, do qual muito se orgulhava. Amigos que Amado prezava no Candomblé eram as mães-de-santo Mãe Aninha, Mãe Senhora, Mãe Menininha do Gantois, Mãe Stella de Oxóssi, Olga de Alaketu, Mãe Mirinha do Portão, Mãe Cleusa Millet, Mãe Carmem e o pai-de-santo Luís da Muriçoca.

Como Érico Veríssimo, Rachel de Queiroz, José Américo de Almeida, José Lins do Rego e Graciliano Ramos, Amado representava o modernismo regionalista (segunda geração do modernismo).[20]

Jorge Amado e Zélia Gattai.

Em sua atuação literária apresentou duas fases distintas: primeiramente de claro cunho social e político, que podem ser vistas em obras como O País do Carnaval, Cacau, Suor, Jubiabá, Capitães de areia e Os subterrâneos da liberdade, entre outras.

Já em obras como Gabriela, cravo e canela, Dona Flor e Seus Dois Maridos, Tenda dos milagres, Tereza Batista cansada de guerra e Tieta do Agreste, pode-se ver um aspecto mais regionalista, segundo opinião do professor, crítico e historiador de literatura brasileira Alfredo Bosi:

Na última fase abandonam-se os esquemas da literatura ideológica que nortearam os romances de 30 e de 40; e tudo se dissolve no pitoresco, no ‘saboroso’, no ‘gorduroso’, no apimentado do regional.—[20]

Traduções das obras

A obra de Jorge já foi editada em 55 países, e vertida para 49 idiomas:

albanês, alemão, árabe, armênio, azeri, búlgaro, catalão, chinês, coreano, croata, dinamarquês, eslovaco, esloveno, espanhol, esperanto, estoniano, finlandês, francês, galego, georgiano, grego, guarani, hebraico, holandês, húngaro, iídiche, inglês, islandês, italiano, japonês, letão, lituano, macedônio, moldávio, mongol, norueguês, persa, polonês, romeno, russo (também três em braille), sérvio, sueco, tailandês, tcheco, turco, turcomano, ucraniano e vietnamita.

Prêmios, títulos e homenagens

Ver artigo principal: Prêmios e títulos recebidos por Jorge Amado

O escritor recebeu vários prêmios nacionais e internacionais. Recebeu também graus de Comendador e de Grande-Oficial, nas ordens da Argentina, Chile, Espanha, França, Portugal e Venezuela, Grande-Oficial da Ordem Militar de Sant’Iago da Espada de Portugal a 8 de Março de 1980 e Grande-Oficial da Ordem do Infante D. Henrique a 14 de junho de 1986,[21] além de ter sido feito Doutor Honoris Causa por mais de dez universidades no Brasil, Itália, Israel, França e Portugal.

O título de Doutor pela francesa Sorbonne foi o último que recebeu em pessoa durante sua derradeira viagem a Paris em 1998, quando já estava doente.[5]

Foi membro correspondente da Academia de Ciências e Letras da República Democrática da Alemanha; da Academia das Ciências de Lisboa; da Academia Paulista de Letras; e membro especial da Academia de Letras da Bahia.[22]

Em 1961 foi lançado, o livro “Jorge Amado – 30 Anos de Literatura”. [23]

Em 1967, a União Brasileira de Escritores (UBE) fez a proposta ao comitê do Prémio Nobel indicado Amado a concorrer ao Nobel de Literatura, porém o próprio recusou. No ano seguinte, torna a fazer a proposta. [24]

Em 2012, o Correio do Brasil lançou o Selo Jorge Amado 100 anos, em homenagem ao centenário de nascimento do escritor,[25] como também foi homenageado pela escola de samba Imperatriz Leopoldinense com o enredo Jorge, Amado Jorge. [26]

Aurélio Buarque de Hollanda com Jorge Amado.

Em 4 de dezembro de 2014 recebeu (post mortem) da Assembleia Legislativa da Bahia a Comenda de Cidadão Benemérito da Liberdade e da Justiça Social João Mangabeira[nota 1], em razão de sua trajetória em defesa dos interesses sociais, a mais alta honraria do Estado.[27]

Academia Brasileira de Letras

Jorge Amado foi eleito para a Academia Brasileira de Letras em 6 de abril de 1961, ocupando a cadeira 23, cujo patrono é José de Alencar e que pertencia anteriormente a Otávio Mangabeira.

De sua experiência acadêmica bem como para retratar os casos dos imortais da ABL, publicou Farda, fardão, camisola de dormir numa alusão clara ao formalismo da entidade e à senilidade de seus membros da época.[3]

10 de Agosto – Jorge Amado – 1912 – 105 Anos em 2017 – Acontecimentos do Dia – Foto 8 – Com Gabriel García Márquez.

Cartas

São mais do que 100 mil páginas em processo de catalogação as cartas trocadas com gente do mundo inteiro, guardadas em um acervo isolado de sua fundação.

A doação foi entregue com uma ressalva, por escrito: “Jorge escreveu que somente cinquenta anos após sua morte esse material devia ser aberto ao público”, segundo a poeta Myriam Fraga, que dirige a casa desde sua criação há vinte anos.

De relatos sobre livros e obras de arte a fatos do cotidiano, correspondeu-se com grandes escritores, poetas e intelectuais de seu tempo:

Graciliano Ramos, Érico Veríssimo, Mário de Andrade, Carlos Drummond de Andrade, Monteiro Lobato e Gilberto Freyre, entre tantos outros brasileiros; Pablo Neruda, Gabriel García Márquez e José Saramago, entre tantos outros estrangeiros.

No campo da política, a correspondência se estabeleceu com nomes os mais variados como: Juscelino Kubitschek, François Mitterrand e Antônio Carlos Magalhães.

10 de Agosto – Jorge Amado – 1912 – 105 Anos em 2017 – Acontecimentos do Dia – Foto 7 – Caetano Veloso, José Saramago e Jorge Amado.

As cartas mostram como o escritor recebia os mais imprevistos pedidos bem como apresentava pessoas umas às outras em época em que era intenso o diálogo via postal.

A correspondência pessoal de Jorge Amado pode oferecer inestimável fonte de pesquisa.[3]

Alguns trechos retirados de reportagem exclusiva, por Josélia Aguiar, à Revista Entre Livros – Ano 2 – nº 16:

  • De Gláuber Rocha, sem data, sobre a nova película (A idade da terra, de 1980). “Comecei o dia chorando a morte de Clarice (Lispector)”, inicia assim a carta para adiante falar sobre o novo filme: “Está sendo feito como você escreve um romance. Cada dia filmo de dois a sete planos, com som direto, improvisado a partir de certos temas. (…) Estou, enfim, tendo a sensação de ‘escrever com a câmera e com o som’, tentando um caminho que fundiu a cuca do Jece (Valadão, ator) (…)”.
  • Mário de Andrade, logo após ler Mar morto, em 1936, elogia o que chama de “realidade honesta” e a “linda tradição de meter lirismo de poesia na prosa”: “Acaba de se doutorar em romance o jovem Jorge Amado, grande promessa do mundo intelectual”.
  • Monteiro Lobato, também sob forte impressão após ler Mar morto, 1936: “Li-o com a mesma emoção trágica que seus livros sempre me despertam”, e conta que, ao visitar o cais do porto de Salvador, havia “previsto” que a obra seria escrita: “Qualquer dia o Jorge Amado presta atenção e pinta os dramas que devem existir aqui. Adivinhei.”.
  • Pablo Neruda (em carta breve, com data de 16 de outubro e ano incerto, escrita a mão): “Será que no Brasil eu poderia fazer um ou dois recitais pagos?” (…) “Haverá algum empresário interessado em organizar com seriedade essa turnê?” (…).

Entre outros que faziam parte do círculo de amizades de Jorge Amado vale citar:

Federico Fellini, Alberto Moravia, Yves Montand, Jorge Semprún, Pablo Picasso, Oscar Niemeyer, Vinícius de Moraes, Jean-Paul Sartre e Simone de Beauvoir.[28]

10 de Agosto – Jorge Amado – 1912 – 105 Anos em 2017 – Acontecimentos do Dia – Foto 11 – Com Dorival Caymmi.

Obras publicadas

Em 1995 iniciou-se o processo de revisão da obra do escritor por sua filha Paloma e os livros ganharam novo projeto gráfico.

Atualmente, os direitos pertencem a editora Companhia das Letras, que está relançando todos os seus livros.[29][30]

Adaptações

Muitas de suas obras foram adaptadas para cinema, TV, teatro e rádio, bem como para histórias em quadrinhos.[8][22]

Em 1961 estreou na TV Tupi a adaptação de Gabriela, Cravo e Canela, de Antônio Bulhões de Carvalho e dirigida por Maurício Sherman.

Em 1975, outra adaptação do romance Gabriela, feita por Walter George Durst estreou na televisão pela Rede Globo.

Em 1976 estreou no cinema Dona Flor e seus Dois Maridos com direção de Bruno Barreto.

O filme foi um sucesso de bilheteria, assistido por mais de dez milhões de espectadores. Ainda virou minissérie e peça.

Em 1982 e 1987 estrearam, respectivamente, no teatro Capitães de Areia e O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá.

A Rede Bandeirantes levou ao ar uma adaptação de Capitães de Areia a televisão em 1989.

No mesmo ano, a Rede Globo estreou a telenovela Tieta, com direção de Reynaldo Boury, Ricardo Waddington, Luiz Fernando Carvalho e Paulo Ubiratan.

Em 1998, foi ao ar mais uma adaptação da obra Dona Flor e Seus Dois Maridos, desta vez em formato de minissérie.

Em 2012, o remake de 1975 de Gabriela foi exibido pela Rede Globo.

CITAÇÃO

Jorge Amado – Sempre existiu uma razão para eu escrever

“Não escrevi meu primeiro livro, pensando em ficar famoso. Escrevi, pela necessidade de expressar o que sentia.”

Jorge Amado / Fonte: Fundação Jorge Amado

Jorge Amado

Jorge Leal Amado de Faria

(Itabuna, 10 de agosto de 1912Salvador, 6 de agosto de 2001)

105 Anos

jorgeamado.org.br

4 ▒ ACONTECIMENTOS


1809Quito, agora capital do Equador, declara independência da Espanha.



1966 – A nave Orbiter I, o primeiro satélite a orbitar a Lua, é lançada ao espaço nos Estados Unidos



1994 – É lançado o satélite brasileiro BrasilSat B1.


5 ▒ FALECIMENTOS

1995Florestan Fernandes ▒ Florestan Fernandes (São Paulo, 22 de julho de 1920 — São Paulo, 10 de agosto de 1995) foi um sociólogo e político brasileiro. Foi deputado federal pelo Partido dos Trabalhadores.[1][2] Recebeu o Prêmio Jabuti em 1964, pelo livro Corpo e alma do Brasil, e foi agraciado postumamente em 1996 com o Prêmio Anísio Teixeira.[3]


2006Irving São Paulo ▒ José Irving Santana São Paulo (Feira de Santana, 26 de outubro de 1964Rio de Janeiro, 10 de agosto de 2006) foi um ator brasileiro. Iniciou sua carreira na Rede Globo nos anos 80, com destaques para as telenovelas Final Feliz (1982), de Ivani Ribeiro, na qual viveu o limítrofe Rafael, Bebê a Bordo (1988) e A Viagem, de 1994.

2008Isaac Hayes ▒ Isaac Lee Hayes, Jr. (Covington, 20 de agosto de 1942Memphis, 10 de agosto de 2008)[1] foi um cantor e compositor americano. Foi uma das principais forças criativas da gravadora Stax Records, servindo como compositor e produtor ao lado do parceiro David Porter durante a metade dos anos 60.


2008Felisberto Duarte ▒ Felisberto Duarte (1938Santos, 10 de agosto de 2008) foi um humorista e apresentador de televisão brasileiro. Conhecido como “Feliz”, ele era responsável pelas notícias do tempo do telejornal Noticentro, veiculado no anos 80, e na primeira e segunda versão do telejornal Aqui Agora, todos do SBT.

6 ▒ FERIADOS e EVENTOS CÍCLICOS

Portugal

7 ▒ TRAGÉDIAS da HUMANIDADE

8 ▒ CIDADES ANIVERSARIANTES

Dados do IBGE

10

Castilho (SP)

10

Conde (PB)

10

Fernando de Noronha (PE)

10

Goioerê (PR)

10

Morro Agudo de Goiás (GO)

10

Penalva (MA)

10

Santa Rosa (RS)

10 de Agosto – Vista aérea da Baia do Sancho — Fernando de Noronha (PE) — 514 Anos em 2017.

Fernando de Noronha (PE)

514 Anos

10 de agosto de 1503

noronha.pe.gov.br

Fernando de Noronha é um arquipélago brasileiro do estado de Pernambuco.

Sua população é de 2 930 hab. itantes (IBGE/2015).

Pertence à Mesorregião Metropolitana do Recife e à Microrregião de Fernando de Noronha.

Formado por 21 ilhas, ilhotas e rochedos de origem vulcânica, ocupa uma área total de 26 km² — dos quais 17 km² são da ilha principal — e se situa no Oceano Atlântico, distante 360 km a nordeste de Natal, no Rio Grande do Norte, e 545 km a nordeste da capital pernambucana, Recife.[7]

Avistada pela primeira vez entre 1500 e 1502, tem sua descoberta atribuída a uma expedição comandada pelo explorador Fernão de Loronha, embora haja controvérsias; porém é certo que o primeiro a descrevê-la foi Américo Vespúcio, em expedição realizada entre 1503 e 1504.

10 de Agosto – Morro do Pico — Fernando de Noronha (PE) — 514 Anos em 2017.

Primeira capitania hereditária do Brasil, o arquipélago sofreu constantes invasões de ingleses, franceses e holandeses entre os séculos XVI e XVIII.

Em 24 de setembro de 1700, Fernando de Noronha tornou-se, por carta régia, dependência de Pernambuco, capitania com a qual já tinha uma ligação histórica. Em 1736 a llha foi invadida pela Companhia Francesa das Índias Orientais, passando-se a chamar Isle Dauphine, porém, no ano seguinte, uma expedição enviada pelo Recife expulsou os franceses.[8]

Em 1942, com a Segunda Guerra Mundial, o arquipélago tornou-se território federal, cuja sigla era FN, passando a servir como base avançada de guerra; mas voltou à administração pernambucana quatro décadas e meia depois, no ano de 1988.[9][10][8]

10 de Agosto – A BR-363 na Vila do Trinta — Fernando de Noronha (PE) — 514 Anos em 2017.

Atualmente Fernando de Noronha constitui um distrito estadual de Pernambuco, e é gerida por um administrador-geral designado pelo governo do estado.[8]

Após uma campanha liderada pelo ambientalista José Truda Palazzo Júnior, em 14 de outubrode 1988 a maior parte do arquipélago foi declarada Parque Nacional, com cerca de 11,270 ha,[11]para a proteção das espécies endêmicas lá existentes e da área de concentração dos golfinhos rotadores (Stenella longirostris), que se reúnem diariamente na Baía dos Golfinhos — o lugar de observação mais regular da espécie em todo o planeta. No ano de 2001 a UNESCO declarou Fernando de Noronha Patrimônio Natural da Humanidade.[12]

10 de Agosto – Palácio de São Miguel, onde fica a Prefeitura da cidade — Fernando de Noronha (PE) — 514 Anos em 2017.

O centro comercial de Fernando de Noronha é o núcleo urbano de Vila dos Remédios, que não é considerada capital por ser a ilha um distrito estadual.

A administração do Parque Nacional está atualmente a cargo do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).[11]

História

Descoberta

Ver artigo principal: Fortificações na Ilha de Fernando de Noronha

Muitas controvérsias marcam o descobrimento do arquipélago pelos europeus.

Pelo menos três nomes — São Lourenço, São João e Quaresma — têm sido associados com a ilha na época de sua descoberta.

Com base em registros escritos, a ilha Fernando de Noronha foi descoberta em 10 de agosto de 1503 por uma expedição portuguesa, organizada e financiada por um consórcio comercial privado liderado pelo comerciante de Lisboa, Fernão de Loronha.

10 de Agosto – Fotografia aérea da ilha principal do arquipélago — Fernando de Noronha (PE) — 514 Anos em 2017.

A expedição estava sob o comando geral do capitão Gonçalo Coelho e levou o aventureiro italiano Américo Vespúcio a bordo, sendo que escreveu um relato sobre ele.[13]

A nau capitânia da expedição atingiu um recife e naufragou perto da ilha e a tripulação e a carga tiveram que ser resgatados.

 

Sob ordens de Coelho, Vespúcio ancorou na ilha e passou uma semana lá, enquanto o resto da frota de Coelho ficou ao sul.

Em sua carta a Piero Soderini, Vespúcio descreve uma ilha desabitada e relata o seu nome coma “ilha de São Lourenço” (10 de agosto é o dia da festa de São Lourenço, era um costume de explorações portuguesas nomear locais de acordo com o calendário litúrgico).

A transição do nome de “São João” para “Fernando de Noronha” foi, provavelmente, apenas pelo uso natural.

A carta régia datada de 20 de maio de 1559, aos descendentes da família Noronha, ainda se refere à ilha por seu nome oficial, ilha de São João. [26]

No entanto, em outros lugares por exemplo, o diário de bordo de Martim Afonso de Sousa na década de 1530 referia-se ao arquipélago como “ilha de Fernão de Noronha” (“Noronha” era um erro ortográfico comum de “Loronha”). O nome informal eventualmente se tornou o nome oficial.

10 de Agosto – Morro Dois Irmãos — Fernando de Noronha (PE) — 514 Anos em 2017.

Colonização e era moderna

O comerciante de Lisboa Fernão de Loronha não apenas tornou a ilha uma capitania hereditária, mas também (de 1503 até 1512) um monopólio comercial sobre o comércio no Brasil. Entre 1503 e 1512, os agentes de Loronha configuraram uma série de armazéns (feitorias) ao longo da costa brasileira e envolveram-se no comércio de pau-brasil (uma madeira nativa que servia como corante vermelho e era altamente valorizada pelos costureiros europeus) com os povos indígenas locais. A ilha de Fernando de Noronha era o ponto de coleta central desta rede. O pau-brasil, continuamente colhido pelos índios costeiros e entregues aos vários armazéns litorâneos, era enviado para o armazém central no arquipélago, que era visitado por um navio de transporte maior que levava as cargas coletadas de volta para a Europa. Após o vencimento do alvará comercial de Loronha em 1512, a organização da empresa de pau-brasil foi assumida pela coroa portuguesa, mas Loronha e seus descendentes mantiveram a posse privada da ilha como uma capitania hereditária pelo menos até a década de 1560. Em 24 de setembro de 1700, Fernando de Noronha tornou-se, por carta régia, dependência de Pernambuco, capitania com a qual já tinha uma ligação histórica. Em 1736 a llha foi invadida pela Companhia Francesa das Índias Orientais, passando- se a chamar Isle Dauphine, porém, no ano seguinte, uma expedição enviada pelo Recife expulsou os franceses.[8]

O capitão Henry Foster parou em Fernando de Noronha durante sua expedição de pesquisa científica como comandante do HMS Chantecler, que havia sido estabelecido em 1828. Para fazer o levantamento das costas e correntes oceânicas, Foster usou um pêndulo de Kater para fazer observações sobre a gravidade.[27] Ele usou a ilha como o ponto de junção de sua linha dupla de longitudes que estabeleceram a sua pesquisa. Foi- lhe dada uma assistência considerável pelo Governador do Fernando Noronha, que deixou Foster usar parte de sua própria casa para os experimentos com o pêndulo.[28] A longitude do Rio de Janeiro feita por Foster estava entre aquelas em um lado de uma discrepância significativa, o que significava que os gráficos da América do Sul estavam em dúvida.

Para resolver isso, o Almirantado instruiu o capitão Robert FitzRoy a comandar o HMS Beagleem uma expedição de pesquisa. Uma das suas tarefas essenciais foi uma parada em Fernando Noronha para confirmar sua longitude exata, usando os 22 cronômetros a bordo do navio para dar o tempo preciso de observações.[28] Eles chegaram à ilha no final da noite de 19 de fevereiro de 1832, ancorando à meia-noite. Em 20 de fevereiro, FizRoy desembarcou em um pequeno pedaço de terra para tomar observações, apesar das dificuldades causadas por ondas fortes, e então navegou para a Bahia ainda naquela noite.[29]

Durante o dia, a ilha foi visitada pelo naturalista Charles Darwin, que era um dos passageiros do HMS Beagle. Ele tomou notas para seu livro sobre geologia. Ele escreveu sobre sua admiração com as madeiras:

“Toda a ilha é uma floresta e é tão densamente interligada que exige grande esforço para passar. — O cenário era muito bonito e grandes magnólias, louros e árvores cobertas de flores delicadas deveriam ter me satisfeito. — Mas eu tenho certeza que toda a grandeza dos trópicos ainda não foi vista por mim … — Nós não vimos pássaros vistosos, nem beija-flores. Nem grandes flores.”[30]

Suas experiências em Fernando de Noronha foram registradas em seu diário, mais tarde publicado como The Voyage of the Beagle.[31] Ele também incluiu uma breve descrição da ilha em sua obra Geological Observations on the Volcanic Islands, de 1844, feita com base nas observações da viagem do HMS Beagle.[32]

10 de Agosto – Antigos canhões usados na defesa do arquipélago, expostos em frente ao Palácio de São Miguel — Fernando de Noronha (PE) — 514 Anos em 2017.

Período contemporâneo

No final do século XVIII, uma prisão foi construída e os primeiros prisioneiros foram enviados para Fernando de Noronha. Em 1897, o governo do estado de Pernambuco tomou posse da prisão.[33] Entre 1938 e 1945, Fernando de Noronha foi uma prisão política. O ex-governador de Pernambuco, Miguel Arraes, foi preso lá após ser deposto do cargo de Governador de Pernambuco pelo golpe militar de 1964. Em 1957, a prisão foi fechada e o arquipélago foi visitado pelo presidente Juscelino Kubitschek.[34]

Reportagem da revista O Cruzeiro, de 2 de agosto de 1930, descreve o presídio como fantasma infernal para esses proscritos da sociedade, que viviam completamente alheios ao que se passava no resto do mundo, apesar de o Governo proporcionar aos presos uma vida saudável de trabalho e de conforto. [35]

No início do século XX, os britânicos chegaram a prestar cooperação técnica em telegrafia (The South American Company). Mais tarde, os franceses vieram com o French Cable[36] e os italianos com o Italcable.[37]

Em 1942, durante a Segunda Guerra Mundial, o arquipélago se tornou um território federal, que incluía o Atol das Rocas e o Arquipélago de São Pedro e São Paulo. O governo enviou presos comuns e políticos para a prisão local. O Território Federal de Fernando de Noronha foi criado em 9 de fevereiro de 1942, pelo decreto-lei federal, de nº 4102, desmembrado do estado de Pernambuco. A entidade administrativa durou 46 anos.

Durante a Segunda Guerra Mundial, um aeroporto foi construído em setembro de 1942 pelas Forças Aéreas do Exército dos Estados Unidos para a rota aérea NatalDakar. É então fornecida uma ligação transoceânica entre o Brasil e a África Ocidental Francesa para carga, trânsito das aeronaves e pessoal durante a campanha dos Aliados na África. O Brasil transferiu o aeroporto para a jurisdição da Marinha dos Estados Unidos em 5 de setembro de 1944.[38] Após o fim da guerra, a administração do aeroporto foi transferido de volta para o governo brasileiro. O Aeroporto de Fernando de Noronha é servido por voos diários de Recife e Natal, na costa brasileira.

Em 1988 o governo brasileiro designou cerca de 70% do arquipélago como um parque nacional marítimo, com o objetivo de preservar o meio ambiente terrestre e marítimo. Em 5 de outubro de 1988 o Território Federal foi dissolvido e Fernando de Noronha reintegrado ao estado de Pernambuco.

Hoje a economia de Fernando de Noronha depende do turismo, restrito pelas limitações do seu ecossistema delicado. Além do interesse histórico mencionado anteriormente, o arquipélago tem sido alvo da atenção de vários cientistas dedicados ao estudo de sua flora, fauna, geologia, etc. O local também é considerado uma “entidade” separada pela Century DX club e, por isso, é visitado com bastante frequência por operadores de rádio amador.

Em 2001, a UNESCO declarou o arquipélago de Fernando de Noronha e o Atol das Rocas como um Patrimônio Mundial. A organização citou os seguintes motivos para isso: a) a importância da ilha como área de alimentação para várias espécies, incluindo atum, peixe agulha, cetáceos, tubarões e tartarugas marinhas; b) uma elevada população de golfinhos residentes e c) proteção para espécies ameaçadas de extinção, como a tartaruga-de-pente e diversas aves.[39]

Em 2009, o voo Air France 447 desapareceu ao largo da costa nordeste do Brasil. Presumiu-se que a aeronave caiu no Oceano Atlântico, próxima a de Fernando de Noronha. Operações de salvamento e resgate foram lançadas a partir da ilha.

10 de Agosto – Vista panorâmica da Baía dos Porcos — Fernando de Noronha (PE) — 514 Anos em 2017.

Geologia

As ilhas deste arquipélago são as partes visíveis de uma cadeia de montanhas submersas. Fernando de Noronha é composto por 21 ilhas, ilhotas e rochedos de origem vulcânica, e possui uma área total de 26 km².[7] A ilha principal compreende 91% da área total do arquipélago, com uma área de 17 km2, sendo 10 km de comprimento e 3,5 km de largura no seu ponto máximo. A base dessa enorme formação vulcânica está cerca de 4 000 metros abaixo do nível do mar. O planalto central da ilha principal é chamado de “Quixaba”. As ilhas da Rata, Sela Gineta, Cabeluda e São José, juntamente com as ilhotas do Leão e Viúva compõem praticamente todo o restante do arquipélago.[41]

Flora e fauna

O Programa das Nações Unidas para o Ambiente lista 15 possíveis espécies de plantas endêmicas do arquipélago, incluindo espécies dos gêneros Capparis noronhae (duas espécies), Ceratosanthes noronhae (três espécies), Cayaponia noronhae (duas espécies), Moriordica noronhae, Cereus noronhae, Palicourea noronhae, Guettarda noronhae, Bumelia noronhae, Physalis noronhae e Ficus noronhae.[42]

As ilhas têm duas aves endêmicas – a cocoruta (Elaenia ridleyana) e o Noronha Vireo (Vireo gracilirostris). Ambas estão presentes na ilha principal; Noronha Vireo também está presente na Ilha Rata. Além disso, há uma corrida endêmica do avoante Zenaida auriculata noronha. Um roedor sigmodontine endêmico, Noronhomys vespuccii, citado por Américo Vespúcio, está extinto.[43] As ilhas têm dois répteis endêmicos, Amphisbaena ridleyi e Trachylepis atlantica.[44]

O Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha é uma unidade de conservação de proteção integral administrada pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade(ICMBio). Criado em 1988, ocupa a maior parte do arquipélago e possui uma variedade de faunae flora únicas. Ótimo local para turismo, porém, devido à fiscalização do ICMBio, algumas das ilhas têm a visitação controlada. Boldró é onde está localizado o centro de convenções do Projeto TAMAR/ICMBio. Seu nome foi dado por militares americanos e é originário da expressão em inglês Bold Rock, que significa Pedra Saliente em português.

10 de Agosto – Nuvens carregadas cobrindo o céu de Fernando de Noronha. Os meses mais chuvosos na ilha são março, abril e maio — Fernando de Noronha (PE) — 514 Anos em 2017.

Clima

O clima da ilha é o tropical (do tipo As’ na classificação climática de Köppen-Geiger, quente o ano todo, com temperatura média anual de 26 °C e chuvas concentradas entre fevereiro e julho, sendo abril o mês mais chuvoso (290 mm). A amplitude térmica é muito pequena, característica da região da Linha do Equador. Ao longo do ano a temperatura da água do mar varia entre 26 °C e 28 °C. Com mais de 2 900 horas de sol por ano, a umidade do ar é relativamente elevada, com médias mensais entre 70% e 90%.[45][40][46]

Problemas ecológicos

Embora protegida pela designação de parque nacional, muito do seu ecossistema terrestre está destruído. A maior parte de vegetação original foi cortada na época em que a ilha funcionava como presídio, para tornar mais difícil que prisioneiros fugissem e se escondessem.

Existe também o problema das espécies invasivas, especialmente a linhaça, originalmente introduzida com a intenção de alimentar gado, sendo que, atualmente, a sua disseminação pelo território está fora de controle, ameaçando o que resta da vegetação original. Sem a cobertura das plantas, a ilha não retém água suficiente durante a estação seca, e a vegetação adquire um tom marrom, secando como consequência.

10 de Agosto – Baia do Sancho — Fernando de Noronha (PE) — 514 Anos em 2017.

Observa-se também a incoerência da permissão de criação de ovelhas na ilha, ao mesmo tempo em que se pede aos visitantes que preservem a Mata Atlântica insular, em recuperação.

Outra espécie invasiva é o lagarto localmente conhecido como teiú, originalmente introduzido para tentar controlar uma infestação de ratos. A ideia não funcionou, uma vez que os ratos são noturnos e o teiú diurno. Atualmente o lagarto passou a ser considerado praga em vez dos

Economia

O arquipélago de Fernando de Noronha possuía em 2013 um Produto Interno Bruto (PIB) de R$75 674 000 e um PIB per capita de R$ 26 673,95.[6] O Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do distrito estadual foi calculado em 0,788 (PNUD/2010).[5] No arquipélago existem duas agências bancárias, uma do Banco Santander e outra do Banco Bradesco além de um Banco Postal (Banco do Brasil) na agência dos Correios na Vila dos Remédios.

10 de Agosto – Vista panorâmica da Praia da Conceição — Fernando de Noronha (PE) — 514 Anos em 2017.

Turismo

As praias de Fernando de Noronha são promovidas para o turismo e o mergulho recreativo. Devido à Corrente Sul Equatorial, que empurra a água quente da África para a ilha, o mergulho a profundidades de 30 a 40 metros não exige uma roupa de mergulho. A visibilidade debaixo d’água pode chegar a até 50 metros.

Próximo à ilha existe a possibilidade de se fazer um mergulho avançado e visitar a Corveta Ipiranga, que repousa a 62 metros de profundidade, depois de ser afundada naquele ponto intencionalmente, após um acidente de navegação.

A ilha conta com três operadoras de mergulho, oferecendo diferentes níveis de qualidade de serviço. Além disso, o arquipélago conta com interessantes pontos de mergulho livre, como a piscina natural do Atalaia, o naufrágio do Porto de Santo Antônio, a laje do Boldró, dentre outros. O arquipélago possui diversificada vida marinha, sendo comum observar diversas espécies de peixes recifais, tartarugas e eventualmente tubarões e golfinhos.

10 de Agosto – Golfinhos na Baía dos Golfinhos — Fernando de Noronha (PE) — 514 Anos em 2017.

Pontos turísticos

10 de Agosto – Cacimba do Padre — Fernando de Noronha (PE) — 514 Anos em 2017.

Esportes

Fernando de Noronha é, reconhecidamente, um dos melhores lugares do Brasil para a prática do surfe, e suas ondas tubulares e cristalinas atraem surfistas para praias como a Cacimba do Padre, Boldró, Cachorro, entre outras. Além disso, em Fernando de Noronha há a prática de esportes, entre eles o futebol, voleibol, futebol de salão e futebol de areia. Possui competições das quatro categorias, chamada “Copa Noronha”, sendo a Copa Noronha de Futebol, Copa Noronha de Voleibol, Copa Noronha de Futsal e Copa Noronha de Futebol de Areia, respectivamente. Há também a Copa Noronha de Futebol Masters, para jogadores com idade acima de 30 anos. Todas as competições são organizadas pelo Conselho de Esportes de Fernando de Noronha, setor esportivo do governo distrital.

O futebol é praticado em Fernando de Noronha desde os tempos do Presídio Comum (que durou pouco mais de duzentos anos), ainda que fosse mais exercitado pelos militares da Força Policial de Pernambuco – responsável pelo comando – do que pelos presidiários propriamente ditos.[48]

Na década de 1920, a chegada de estrangeiros – italianos e franceses – para cooperação técnica, incrementou o uso dos esportes – principalmente o futebol e o voleibol – como oportunidade de confraternização entre esses e a população, na sua maioria carcerária. Ainda assim, pouquíssimos presos tinham oportunidade de jogar.[48]

A prática foi estimulada entre 1938 e 1942, quando implantou-se o Presídio Político da União, perdendo Pernambuco, “a título precário”, seu poder sobre a ilha. Os comunistas, integrallistas e aliancistas presos fizeram tudo o que foi possível para passar o tempo, desde ministrar cursos de alfabetização ao ensino de línguas estrangeiras, além de jogos diversos, como Voleibol, Basquete e o Futebol.[48]

A chegada dos militares a partir de 1942, tanto para implantar o Território Federal, como para acolher um Destacamento Misto da II Guerra Mundial, deu ao futebol um lugar de destaque, construindo-se precários campos para a prática esportiva e, na década de 70, aprimorando-se esses campos, que existem até hoje. O principal deles é o Estádio Distrital Salviano José de Souza Neto, conhecido como Pianão, antes chamado apenas de Estádio Distrital de Fernando de Noronha, conhecido como Noronhão, tendo a denominação atual em homenagem a esse que foi o mais famoso jogador de futebol noronhense, conhecido como Piano, falecido em um acidente automobilístico no início da década de 2000 com pouco mais de 30 anos de idade. Nesse campo acontecem os “Campeonatos Noronhenses”, com times diversos que representam tanto setores do poder público como do setor privado (pousadas, restaurantes, empresas de mergulho, etc). Foram também os militares que construíram uma quadra de esportes na Vila dos Remédios, modificando o espaço urbano colonial que havia, quadra essa usada para vários fins, onde diversos esportes são praticados.

Atualmente, a realidade do esporte é diversificada, tanto com competições que promovem esportes tradicionais, como o desenvolvimento de novas modalidades, como capoeira, futebol feminino, corridas de bicicleta, hidroginástica com idosos, entre outros, sempre estimulando o espírito de congraçamento, de lazer em horas ociosas e estímulo à saúde.[48]

9 ▒ GALERIA de FOTOS

10 ▒ CRÉDITOS

Datas, fatos e os nascimentos mais importantes no Brasil e no Mundo, em todos os dias do ano, ilustrado com fotos e curiosidades.

SITE ► acontecimentosdodia.com

FONTE PRINCIPAL ► WIKIWAND

OUTRAS FONTES de PESQUISA:

Cidades IBGEFilmowAdoro CinemaBIO (facebook)GShowAniv.DiaAniv.FamososHistoryHistory (facebook)

Paul Sampaio, perfil, 1  Paul Sampaio – Autor

PESQUISA e REALIZAÇÃO

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s